BLOG PROGRESSISTA - NOTICIAS PREFERENCIAIS DO PT

RESPONSÁVEL MARIO ALVIM DRT/MT-1162

segunda-feira, 31 de maio de 2010

CHARGES DO BESSINHA

Diap: PT lidera a lista de parlamentares mais influentes do Congresso


segunda-feira, 31 de maio de 2010

O Partido dos Trabalhadores mais uma vez lidera a lista dos 100 deputados e senadores de maior relevância no Congresso Nacional, elaborada anualmente pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap).
Na seleção divulgada nesta sexta-feira (28) destacam-se 22 parlamentares do PT como os mais atuantes do Congresso Nacional - são 16 deputados e seis senadores - número bem superior ao do PMDB - 17 parlamentares, partido que tem a maior bancada na Câmara e no Senado. Os líderes das bancadas petistas na Câmara e no Senado, deputado Fernando Ferro (PE) e senador Aloizio Mercadante (SP), estão na elite do Poder Legislativo.

O líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), e a líder do governo no Congresso Nacional, senadora Ideli Salvati (PT-SC), também estão entre os parlamentares mais influentes do Congresso.

Fazem ainda parte da 17ª pesquisa do Diap para mapear as principais lideranças do Parlamento os deputados petistas: Antônio Palocci (SP); Arlindo Chinaglia (SP); Geraldo Magela (DF); Gilmar Machado (MG); Henrique Fontana (RS); José Eduardo Cardozo (SP); Marco Maia (RS); Maurício Rands (PE); Pepe Vargas (RS); Ricardo Berzoini (SP); Sérgio Barradas Carneiro (BA); Vignatti (SC); Virgílio Guimarães (MG) e Vicentinho (SP).

Além dos líderes Aloizo Mercadante e Ideli Salvati, fazem parte da lista os senadores Delcídio Amaral (MS); Eduardo Suplicy (SP); Paulo Paim (RS) e Tião Vianna (AC).

Ascensão

O Diap também divulgou a relação dos parlamentares em ascensão. Nesta categoria 15 deputados do Partido dos Trabalhadores estão entre aqueles os parlamentares que têm buscado abrir canais de interlocução, criando seus próprios espaços e se credenciando para o exercício de lideranças formais ou informais no âmbito do Parlamento.

Da bancada do PT na Câmara são considerados em ascensão os deputados: Carlos Zarattini (SP); Carlos Abicalil (MT); Dr. Rosinha (PR); Iriny Lopes (ES); Fátima Bezerra (RN); João Paulo Cunha (SP); José Genoino (SP); Maria do Rosário (RS); Nazareno Fonteles (PI); Odair Cunha (MG); Paulo Rocha (PA); Paulo Pimenta (RS); Paulo Teixeira (SP); Pedro Eugênio (PE); e Zézeu Ribeiro (BA).

Para elaborar a lista da elite do Congresso Nacional, o Diap escolhe aqueles parlamentares que, na sua avaliação, conseguem se diferenciar dos demais pelo exercício de qualidades e habilidades. Entre os atributos considerados, o Diap destaca a capacidade de conduzir debates, negociações, votações, articulações e formulações.

Alunos disputam titulo da 5ª Fecita 2010


domingo, 30 de maio de 2010
Cidades, Juína - Correio do Noroeste
A 5ª Fecita (Feira Científica, Cultural, Tecnológica e Ambiental) de Juína, foi realizada nos dias 27 e 28 de maio na estrutura da Feira Municipal. As bancas que, costumeiramente são utilizadas pelos feirantes, se transformaram em expositores para suas obras, estudos e debates entre alunos, professores e visitantes. Ao todo foram apresentados 58 projetos sendo; 10 da Educação Infantil, 14 do Ensino Fundamental; 19 do Ensino Fundamental, 08 do Ensino Médio, 4 do Ensino Superior e 3 Projetos do Ensino de Jovens e Adultos (Proeja). Os trabalhos foram divididos por escola, e enquanto alguns alunos se apresentavam na parte da manhã, outros eram à tarde. Uma comissão de jurados avaliou cada detalhe. “Neste ano, tivemos projetos dos mais diferentes temas e superamos a edição anterior”, detalhou Vanderlei José, diretor de Cultura da Prefeitura de Juína.

Temas como, manejo ambiental sustentável, lixo limpo, microscópio de sucata, pulmão artificial, cáries e até uma nova pirâmide alimentar foi apresentada pelos estudantes. “A antiga pirâmide estava ultrapassada. Hoje a realidade mudou e foi preciso criar novos estudos para melhorar a saúde das pessoas”, explicou Beatriz Silva, 7 anos, estudante de uma escola particular.

Após os dois dias de apresentação, saíram às escolas vencedoras. Na Categoria Educação Infantil: 1º lugar – Centro de Educação infantil (CEI), Arco Iris; 2º e 3º – CEI Menino Jesus.

Categoria Ensino Fundamental, anos iniciais: 1º lugar – Escola Rural Municipal (ERM), Álvares de Azevedo; 2º lugar – Escola Euclides da Cunha e o 3º – E.E. 7 de setembro.

Categoria Ensino Fundamental, anos finais: 1º lugar, E.E. 7 de setembro; 2º lugar ERM Euclides da Cunha e 3º, também para E.E. 7 de setembro.

Categoria Ensino Médio: Duas escolas empataram no 1º lugar – ERM Euclides da Cunha e Artur Antunes Maciel; 2º lugar, destaque mais uma vez para a escola Artur Antunes Maciel; o 3º também teve empate, entre as escolas Padre Ezequiel Ramin e IEPS.

O povo dos Grotões - uma reflexão oportuna da professora Rosa Neide Sandes


Nós que nascemos e crescemos no interior, nas pequenas cidades, vistas por muitos como os grotões, povoados por pessoas ingênuas e, por vezes, consideradas com gente ainda manipulada, temos um jeito diferente de ser, de viver, de avaliar, de ver o mundo.
Nos grotões ainda se olha a lua, se conversa com são Jorge, se constrói relações significativas, se compreende o papel do humano na lida com o planeta.

Nesse lugar de pertencimento, sentimos as energias cósmicas e conseguimos enxergar as lições que a natureza de forma surpreendente nos indica. Vemos os anúncios, os prenúncios, o porvir que o conjunto de fenômenos naturais anuncia.

É fundamental nascer na grota, crescer entre os jecas-tatus, construir uma identidade de quem se humaniza no processo de relação homem e mundo e se perceber num processo de quem está apenas dando os primeiros passos em busca de sabedoria, a sabedoria da grota.
Na grota, consegue-se beber na fonte, inspirar-se, banhar-se e limpar-se das impurezas dos que passaram por ela, mas não a enxergaram, não a sentiram, pois não querem ver e sentir o odor e o sabor dos jecas que habitam os rincões deste país e, especialmente, do estado de Mato Grosso.

Nasci no seco sertão baiano, nordeste do Brasil. Aprendi desde cedo a superar a falta de todos os bens materiais, mas sorvi da fonte da grota e me senti fortalecida no ato de denunciar e de anunciar. Aos 14 anos, enquanto muitos vendavam os olhos para não ver a grota e os que nela vivem e sobrevivem, eu levantava cedo, 5 da manhã e me dirigia à entrada de minha cidade para entregar panfletos esclarecendo aos trabalhadores quanto custava um dia de trabalho e quanto eles estavam sendo explorados pelos latifundiários.

A luta coletiva orientada de forma cristã e festiva pelo pároco de nossa capela, professor de inglês no meu ensino médio, também anunciava as possibilidades de organização, de trabalho cooperativo e do sonho com um pedaço de terra para a produção livre e sem exploração.

Aos 17 anos peguei a estrada e como “pau-rodado” cheguei a Mato Grosso. Como normalista comecei a serena e encantadora profissão de professora, sempre no grotão.
Em 1981, estimulada pelo amigo Gilney Viana, filiei-me ao partido dos trabalhadores. Mesmo que distante dos centros maiores, participei ativamente da história do nosso partido e nunca tive dúvidas de nossas utopias. Caminhei ao lado de grandes guerreiras e guerreiros, todos da grota.

Viver no interior, no mato, na grota, na condição de Jeca, nos habilita a ser mais irmãos, mais fraternos e mais povo. Receber visitas é para nós do mato uma grande alegria. Arrumamos as casas, colocamos flores nas janelas para propagar o grande evento, pois é anunciado que chegarão da cidade as ilustres figuras públicas a quem devemos respeito significativo e desejo de abraçar. Foi assim que passei 30 anos esperando a visita dos ilustres do Partido dos Trabalhadores, das figuras a quem não aceitava nenhuma mácula.

Um dia, por motivos tantos, resolvi sair da grota, cheguei à cidade, agora não mais como aos 17 anos. Estava mais amadurecida, entretanto ainda acreditava em fadas, em bruxas , em varinha de condão. Conheci de carne e osso as figuras públicas que tanto admirei e exortei. Percebi que alguns me viam e me reconheciam, pois também se identificavam com o povo da grota, outros não. Com a carcaça mais endurecida, fui tomando coragem e procurando desvendar e desvelar o processo que fazia revelar o que eu teimava em não ver.

Gente antiga que dizia: “estou boquiaberta, não pensei que você tão capaz” - sei que não sou - “...nunca me viu” - pensei... o que viam quando nos visitavam , uma Jeca??? Com certeza!!!

Mas, a Jeca foi identificada por outros tantos , da cidade ou da grota, entrincheirados pela mesma causa. No espaço urbano, sem perder a capacidade de olhar a lua e falar com São Jorge, comecei a compreender de que lado está cada um e cada uma, quais são as preocupações, com que armas lutam. E aí, sem medo de ser feliz, fui fazendo opções. E hoje só me junto aos Jecas ou com os que respeitam os Jecas. Se o caminho não for o mais fácil, não me importa, haverá portas... e outros caminhos se abrirão...

Conhecer de forma mais direta os companheiros, irmãos e amigos Ságuas e Abicalil me fez ter a certeza de que o espaço público deve ser ocupado por pessoas capazes, comprometidas com o povo (sendo da grota ou não), mas não pela cor partidária. Acima de tudo o que se preza é o respeito à legislação e ao momento democrático de nosso país, liderado pelo companheiro Lula.

Carlos e Ságuas não me perguntaram de que tendência eu era, se eu era e se estaria ou não ao lado deles em questões políticas pessoais e, em momento algum, encaminharam orientações de que no nosso espaço de trabalho deveríamos nos juntar apenas a um único contingente organizado. Pelo contrário, os companheiros Ságuas e Carlos SEMPRE honraram os princípios da educação pública e democrática de nosso estado, portanto, tem a minha companhia e o meu apoio, pois Jecas ou não, nascidos na grota ou não, apóiam e respeitam a consciência conquistada na luta de todos os petistas que vivem no interior de Mato Grosso, que não se vendem, pois sabem onde querem chegar.

Queda de Serra nas pesquisas expõe atritos DEM-PSDB


Motivo da divergência é a escolha do candidato a vice-presidente

Zanone Froissat/Folha press
FOLHA DE S. PAULO

Enfrentando trajetória descendente nas pesquisas de intenção de votos, o palanque PSDB-DEM começa a expor suas fissuras.

Contidas quando o pré-candidato tucano, José Serra, liderava com ampla vantagem a disputa pela Presidência, as divergências vêm à tona especialmente agora, na discussão do vice.

Integrantes da cúpula do DEM se dizem excluídos da coordenação da campanha e preteridos em negociações nos Estados. Para completar, discordam das alternativas ao nome de Aécio Neves, caso ele resista mesmo aos apelos para que ocupe a vice.

Apesar da falta de um nome que unifique o partido, os democratas já avisaram ao PSDB que só cederiam a posição para Aécio.

Até mesmo os mais afinados com Serra reagem à indicação do presidente do PP, Francisco Dornelles (RJ).

Cotado para a vaga mesmo após apresentar emenda que atenua o projeto Ficha Limpa, ele sofre resistência do PP e do DEM. Dornelles, que já foi filiado ao antigo PFL, desfalcou o partido quando saiu.

No DEM, não há consenso sobre a indicação de Kátia Abreu (TO), José Carlos Aleluia (BA) ou José Agripino Maia (RN).

Os democratas resistem ao senador Tasso Jereissati (CE), mas, no PSDB, não impõem tantas restrições ao ex-ministro Pimenta da Veiga.

Há trepidações em Estados como Santa Catarina e Goiás. Mas a tensão promete ser acirrada em São Paulo.

Sob o patrocínio do prefeito Gilberto Kassab (DEM), candidatos a deputado federal do DEM que disputam vagas contra tucanos têm o apoio formal de vereadores e diretórios do PSDB.

O próprio Geraldo Alckmin reagiu com surpresa ao ouvir a manifestação da presidente de um diretório do PSDB em favor de um candidato democrata."Há casos de diretórios inteiros. É um salve-se quem puder", diz o coordenador de programa de Alckmin, José Aníbal (PSDB).

Avarias

O DEM terá de lidar, nas eleições deste ano, com avarias internas. O partido deverá ter candidato próprio em apenas quatro Estados. Em outros sete não deve concorrer nem para o Senado.

O escândalo do mensalão no DF, que culminou na prisão e renúncia de José Roberto Arruda, único governador do partido eleito em 2006, levou o Democratas a perder influência na definição das coligações. O partido defende-se dizendo que expurgou Arruda de seus quadros com rapidez.

TRE diz que não pode anular prévias; Serys premete ir ao TSE


Sissy Cambuim
Sob relatoria do desembargador Rui Ramos no Tribunal Regional Eleitoral, o parecer sobre a ação declaratória de nulidade impetrada pela senadora Serys Marly (PT) com o intuito de anular as prévias de seu partido declarou, nesta sexta (28) que a matéria é de competência da Justiça comum.

Contudo, o advogado da parlamentar, Vilson Nery, disse que entraria com pedido de embargo de decisão e tentará, até a última instância, fazer com que a ação seja julgada pela Justiça Eleitoral. “Iremos até o Tribunal Superior Eleitoral se for preciso”, disse. “No PT, os resultados das prévias apenas são homolgados na convenção, por isso merece atenção no processo eleitoral, inclusive com prazos corridos”, explicou.

Sobre o assunto, o presidente do diretório estadual do PT, deputado Carlos Abicalil, que ganhou nas eleições internas o direito de disputar o Senado, apenas limitou-se a dizer que “o partido deve se submeter à vontade coletiva”.

O resultado das prévias deflagrou uma divisão interna no partido. De um lado, os defensores de Abicalil que apoiam o projeto de reeleição do governador Silval Barbosa (PMDB) e, de outro, solidários à senadora, aqueles que unem forças em prol do pré-candidato Mauro Mendes (PSB).

Abicalil é o único de MT a figurar entre 100 cabeças do Congresso


Marcia Matos
O deputado federal Carlos Abicalil (PT), que está no segundo mandato e hoje sonha em se tornar senador, é o único dos 11 membros da bancada mato-grossense, na lista dos “Cabeças do Congresso”. A relação anual foi divulgada nesta sexta (28) pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). No mapeamento das principais lideranças entre deputados e senadores do país, Abicalil aparece no grupo dos parlamentares em ascensão. Assim, o que se vê é que sua briga com a senadora Serys Marly (PT) não trouxe reflexos à imagem de líder nato.
A lista destaca aqueles que vêm recebendo missões partidárias, políticas ou institucionais e se livrado de forma "diplomática" delas. Também fazem parte da categoria os parlamentares que têm buscado abrir canais de interlocução, criando seus próprios espaços e se credenciando para o exercício de lideranças formais ou informais no âmbito do Congresso. Integram esse grupo, ainda, os deputados ou senadores que já fizeram parte dos “cabeças” mas, por razões circunstanciais, perderam interlocução.

A relação elaborada pelo Diap utiliza cinco categorias nas quais um parlamentar pode se enquadrar. São classificados como debatedores, articuladores, organizadores, formuladores, negociadores e formadores de opinião. O Diap não revela em qual destes grupos estaria Abcalil, mas conforme as características analisadas, o petista poderia se encaixar no grupo formadores de opinião. Os parlamentares que compõem este grupo seriam discretos na forma de agir, evitando se expor em questões menores do dia-a-dia do Legislativo. Preferem as decisões de bastidores, onde exercem real poder. Constituem a elite do Poder Legislativo, embora não precisem, necessária e institucionalmente, estar em postos-chave, como liderança formal ou Presidência de uma das Casas do Congresso. São os que se pode chamar de líderes de alta patente, respeitados e legitimados pelo grupo ou corrente política que lideram.

A lista das 100 principais “cabeças” aponta que o PT é o partido com maior representação na elite do Congresso, com 22 parlamentares. Em segundo lugar está o PMDB, maior partido e com a maior bancada na Câmara e no Senado, conta com 14 parlamentares na lista. Estão listados 69 deputados e 31 senadores. Mas nenhum é mato-grossense.

A bancada federal de Mato Grosso é composta pelos deputados federais Carlos Abicalil (PT), Carlos Bezerra (PMDB), Eliene Lima (PP), Homero Pereira (PR), Pedro Henry (PP), Thelma de Oliveira (PSDB), Valtenir Pereira (PSB) e Wellinton Fagundes (PR), além dos senadores Gilberto Goellner (DEM), Jayme Campos (DEM) e Serys Marly (PT). Fora Abicalil, nenhum destes parlamentares conquistou uma vaga na lista dos "cabeças" de 2010.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

ENTREVISTA COM JOGADOR LÚCIO E TABELA DA COPA 2010 (Clik aqui e confira)




No dia 11 de maio, o jogador Lucimar Ferreira da Silva teve finalmente a certeza de que estará na África do Sul para defender as cores da seleção brasileira durante a Copa do Mundo de 2010, pois o nome dele estava entre os dos 23 convocados por Dunga para representar o Brasil nesta competição.

Durante os últimos anos, Lucimar, que é popularmente conhecido como Lúcio, tem sido um dos protagonistas da equipe de futebol masculino do Brasil. Ele, que atua na Inter de Milão (Itália), é considerado um dos melhores zagueiros do mundo na atualidade e ocupa a posição de capitão da seleção brasileira.
Em campo, Lúcio é conhecido por força física, seriedade e raça. Porém, fora dos gramados ele, que no Brasil frequenta uma igreja batista, se mostra uma pessoa afável, que valoriza a família e que é comprometida com Deus.

Em meio à expectativa do início da próxima Copa do Mundo, na qual o Brasil tentará conquistar seu sexto título mundial, O Jornal Batista conversou com Lúcio, que falou das expectativas para o próximo Mundial, das vitórias que já alcançou (como a obtida na Copa das Confederações de 2009) e de seu relacionamento com Cristo Jesus.

OJB - Você sonhava em ser um jogador de futebol quando era criança?
Lúcio - Eu, como todas as crianças no Brasil, sempre gostei de futebol. Para mim, jogar futebol sempre foi uma alegria, sempre foi um sonho. Porém, não podia imaginar que chegaria onde cheguei: Jogar na seleção e em um grande clube da Europa. Viver isto hoje me deixa muito feliz e grato. Reconheço a mão e o poder de Deus na minha vida e trabalho.

OJB - Como foi a sua primeira convocação?
Lúcio - Eu estava com a minha esposa quando fui convocado pela primeira vez. Acho que foi em setembro de 2000. Sem dúvida alguma, foi uma emoção muito grande receber aquela notícia. Eu e minha esposa choramos muito, compartilhando um momento muito bom de alegria. Hoje tenho muitos jogos pela seleção, mas, sem dúvida, o primeiro foi muito bom, foi a realização de um sonho. Sem dúvida alguma, vemos neste sonho a mão de Deus.

O Jornal Batista - Você acaba de ser convocado para defender o Brasil na Copa do Mundo. Como você encara este desafio?
Lúcio - Nossa vida é feita de sonhos e desafios. Sem dúvida alguma, este também é um sonho que tenho: Disputar a Copa do Mundo pela seleção do meu país.

OJB - Na sua opinião, quais devem ser os maiores adversários do Brasil na próxima Copa? Por que?
Lúcio - O Brasil tem uma grande tradição. Entretanto, sempre podem surgir surpresas com equipes como Espanha, Inglaterra, Argentina e França na Copa.

OJB - Você é o atual capitão da seleção brasileira. O que representa ser o capitão de um time de futebol?
Lúcio - O papel do capitão, primeiramente, é procurar passar para os companheiros um espírito de equipe e um espírito de disciplina. Dentro da seleção brasileira é poder motivar os companheiros, manter um grupo saudável de amizade e dentro dos jogos passar motivação, sempre falar positivamente, sempre acreditar até o último minuto, além de ser profissional em cada treinamento e jogo. Sem dúvida alguma, acho que o papel do capitão e de todos os outros líderes é fundamental.

OJB - Como foi a experiência de conquistar a Copa das Confederações em 2009 na África do Sul?
Lúcio - Foi um momento muito especial para mim. Uma grande experiência profissional. Além disso, pude ver a mão de Deus atuando claramente na minha vida naquele momento. Sabemos que na seleção brasileira cada jogo é uma cobrança e uma disputa muito grande. Além das cobranças da seleção brasileira, eu passava por uma fase de transição em meu clube (na época o Bayern de Munique, da Alemanha) com um novo treinador. Porém, graças a Deus, no final pude ver a misericórdia e a graça de Deus para com a minha vida.
Na final da competição, cheguei a pensar em alguns momentos que o Brasil não poderia sair campeão diante dos Estados Unidos, principalmente quando estávamos perdendo de 2 a 0. Era um momento difícil, mas eu reconheço a ação de Deus naquele momento, pois mantivemos a calma e continuamos lutando e jogando. Assim, no final viramos o jogo (o Brasil venceu a partida no final por 3 a 2 e conquistou a competição). Sem dúvida, não conseguiríamos fazer isto sozinhos.
Acredito que a fé que tivemos naquele momento foi fundamental e, acima de tudo, reconhecemos o poder de Deus atuando sobre nossas vidas naquele momento. No final demos glórias a Deus, o que é mais do que justo por aquilo que Ele fez nas nossas vidas, e naquele jogo em especial.

OJB - Qual o sentimento de marcar o gol que garantiu o título da Copa das Confederações?
Lúcio - Aconteceu em um momento decisivo, no qual o jogo estava empatado. Foi realmente especial marcar, no finalzinho do jogo, o gol que deu a vitória e o título ao Brasil, o meu primeiro título como capitão da seleção brasileira. Este foi um momento no qual pude ver mesmo a mão de Deus, a misericórdia de Deus na minha vida pelo momento que passava. Naquele momento só podia agradecer a Deus e glorificar a Ele junto com os companheiros, comemorar aquele momento tão grandioso na minha vida e na vida de todos nos que estavam ali. Este foi um momento espetacular de minha carreira.

OJB - Sabemos que na seleção há muitos jogadores cristãos. É comum vocês terem momentos de culto juntos? Como eles acontecem?
Lúcio - Graças à Deus temos muitos jogadores evangélicos na seleção. Respeitando os horários e programações, sempre separamos um dia na semana para lermos juntos a Bíblia, além de orar.

OJB - Como é a sua relação pessoal com Deus? O que Ele representa para você?
Lúcio - Procuro ter um relação diária com Deus, pois sei que Ele sabe o que é melhor pra mim em todas as situações. Ele representa vida, amor e paz. É a nossa salvação. Ele me ama incondicionalmente e me faz feliz.
A diferença de ter Jesus no coração está no fato de que no mundo aí fora você vale o que você é, o que você tem. Para Jesus, independentemente do que você tem ou do que você é, ou de onde você joga, ou do que você faz, independentemente do seu trabalho, da sua profissão, Jesus te ama da mesma forma. Eu vejo esta verdade tanto quando eu venço como quando eu perco, quando eu chego em casa depois de uma partida ruim, onde não conseguimos vencer, onde até mesmo eu falho às vezes. Então, para Deus, eu continuo a ser o mesmo. Ele me ama da mesma forma. Acredito que esse é o verdadeiro amor, e isso me motiva, motiva minha família, a buscar a direção de Deus a cada dia.

OJB - Como você entregou sua vida a Jesus?
Lúcio - Quando adolescente, passei a ir à igreja com minha mãe e comecei minha caminhada com Cristo. Porém, só fui batizado em 1998, no mesmo ano do meu casamento.
Deus me mostrou que Ele pode me levar muito além daquilo que eu penso. Às vezes pensamos em coisas muito simples. Porém, Deus tem planos muito maiores para nós. Foi através das experiências com Deus que eu pude aceitar Jesus e saber que Deus tem uma obra muito grande na minha vida. Sem dúvida alguma, hoje posso dizer que Deus tem feito coisas na minha vida que eu nem imaginaria: Como ser um jogador profissional em grandes equipes, conquistar títulos, ter uma esposa, ter filhos saudáveis e poder ter filhos que estão também caminhando pelo mesmo caminho de aceitar Jesus.

OJB - Quais os desafios que o cristão enfrenta no mundo do futebol?
Lúcio - Penso que isso é muito particular. Para mim é manter o equilíbrio em meio a tantas coisas: Assédio, fama, dinheiro, etc. Creio que a sabedoria que vem de Deus é fundamental para alcançar esse equilíbrio.

OJB - Como equilibrar o futebol e a família?
Lúcio - É difícil, pois o futebol exige muito às vezes, então eu trabalho para deixar o futebol um pouco de lado quando chego em casa. Assim concento minha atenção na minha esposa e em meus filhos. Acredito que isso também alegra o coração de Deus, quando cuidamos bem da esposa e filhos, que são presentes de Deus para mim.

OJB - Você frequenta alguma igreja na Itália? E no Brasil?
OJB - Aqui na Itália ainda não. Na Alemanha frequentava a Assembleia de Deus. No Brasil somos membros da igreja batista. A Bíblia é o manual de vida de minha família. É uma forma de aprender mais sobre a vontade de Deus, além disso ela apresenta o melhor caminho para viver e nos mostra o que é realmente importante na vida.

FÁBIO AGUIAR LISBOA e STUART WEIR. Esta matéria é composta por duas entrevistas dadas pelo zagueiro Lúcio: Uma para o editor de OJB, Fábio Aguiar Lisboa, e outra para Stuart Weir, da Verité Sports e que gentilmente cedeu seu material para OJB.

Missões Mundiais enviará cerca de 200 voluntários para a África do Sul


27 de Maio de 2010 10:57
Em algumas semanas, a Copa do Mundo de 2010 estará acontecendo em nove cidades na África do Sul. Esse é o evento esportivo que concentra a maior audiência televisiva em todo o mundo. Nesta oportunidade, uma equipe com cerca de 200 voluntários brasileiros estará no país, liderada pelo missionário e pastor Marcos Grava, coordenador do Programa Esportivo Missionário (PEM) da Junta de Missões Mundiais. O grupo faz parte do Projeto Conexão África 2010 e vai, de uma forma bem estratégica, anunciar a salvação em Cristo.

Os voluntários trabalharão no entorno dos principais estádios entre os dias 2 de junho a 19 de julho. Segundo o pastor Marcos Grava, eles começarão os trabalhos já na abertura da Copa, dia 11 de junho, em Joanesburgo. A seleção brasileira jogará na cidade no dia 15 de junho, em sua estreia na competição, contra a Coreia do Norte. Nesta oportunidade, um grupo de voluntários estará atuando efetivamente. “Esse jogo é especial para nós, pois o Brasil enfrentará o país considerado o maior perseguidor de cristãos no mundo”, diz o missionário.
Além de Joanesburgo, onde ficará a base do grupo, o coordenador do Conexão África distribuirá os voluntários para atuarem em outras localidades. “Dos 200 voluntários, 185 servirão em Joanesburgo e outros 15 na Cidade do Cabo, região sul do país. Pretendemos chegar até Pretória e estamos programando uma possível ida a Moçambique”, conta Marcos Grava.

Entre as atividades estratégicas de evangelismo a serem desenvolvidas na África do Sul estão esportes, evangelismo pessoal e discipulado, Escola Bíblica de Férias (EBF), expressões artísticas (como música, atividades circenses e danças), KidsGames, intercessão e visitação, seminários e cruzadas nas igrejas, atividades infantis, além de atendimento médico e odontológico. Segundo o pastor Grava, as ações acontecerão no maior número possível de jogos, independentemente de o Brasil chegar à final do torneio. “Estaremos em Joanesburgo entre os dias 2 e 22 de junho, durante a primeira fase da Copa, com um grupo de 180 pessoas. Outros 20 estarão preparando o terreno e colhendo os frutos em Joanesburgo e na Cidade do Cabo entre 5 de maio e 19 de julho”.

O Projeto Conexão África 2010 é uma parceria entre Missões Mundiais da Convenção Batista Brasileira e a Coalizão Brasileira de Ministérios Esportivos (CBME), e conta com o apoio da Faculdade Batista de Teologia (FABTEOSP).

Com a experiência de quem já atuou em outros eventos esportivos de grande porte - como os Jogos Olímpicos de Atlanta (em 1996 nos Estados Unidos), de Sidney (em 2000 na Austrália) e de Atenas (em 2004 na Grécia), e na Copa do Mundo de 2006 (na Alemanha) - e que durante os Jogos Olímpicos de 2008 em Pequim (China) liderou a, até então, maior caravana missionária da história missionária brasileira, com mais de 100 voluntários, o pastor Marcos Grava destaca a importância de evangelizar nesses eventos esportivos: “Não ganhamos uma medalha sequer. Muito pelo contrário, ganhamos vidas, muitas que ainda serão colhidas e que valem mais que uma taça ou medalha dourada. Vidas que hoje estão com seus nomes escritos na eternidade, como o meu e o seu”.

REDAÇÃO DE MISSÕES MUNDIAIS - www.jmm.or.br

Pais e educadores em alerta: "pulseiras do sexo"


Publicado em 27/05/2010 (Clik na imagem para aumentar)

Audiência pública para discutir os riscos da utilização das conhecidas “pulseiras do sexo” pelas crianças e adolescentes, termina com grande expectativa e novas propostas

Vários pastores, à frente de ministérios dedicados especialmente à família da Lagoinha, e a diretora do Colégio Cristão, Sara Teixeira Pinto, participaram de uma Audiência Pública na Câmara Municipal de Belo Horizonte a convite do vereador João Oscar, líder da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Família. Esse encontro, com participação da comunidade, outras instituições religiosas e lideranças políticas da nossa sociedade, trouxeram a tona novas realidades a respeito dos riscos da utilização das chamadas “pulseiras do sexo” pelas crianças e adolescentes. Os acessórios, antes tidos como enfeites infantis, extrapolaram o espaço da brincadeira para adentrar no território da sexualidade como uma espécie de código para permitir intimidade sexual com as usuárias das pulseiras. Quanto mais forte a cor, maior o nível da intimidade e permissividade.

Depois de muitos casos de agressão e abuso sexual de menores, constatado o fato de que as meninas usavam as pulseiras aparentemente inofensivas, muitos estados e cidades resolveram proibir o uso dos adereços legalmente. Em Londrina, Manaus, Campo Grande, Maringá, Várzea Grande e Barbacena, entre outras cidades, o uso já foi proibido. Em Belo Horizonte, apesar de não ter sido comprovada a ocorrência de nenhum caso ligado ao acessório, um projeto de lei (PL 1085/2010) está sendo votado na Câmara para coibir o uso.

O vereador João Oscar, autor do projeto e incentivador de medidas preventivas, acredita que a sua aprovação deve ocorrer em breve e o uso e comercialização das “pulseiras do sexo” vão ser terminantemente vetados. Ainda segundo João Oscar, “o mais importante é que os pais vigiem seus filhos, não sejam omissos diante de nenhuma situação e participem ativamente na criação dos filhos, pois são eles, os maiores bens de todas as famílias”.

Para o pastor Paulo Cesar Ferreira, presidente do Conselho pastoral da Lagoinha, que foi um dos componentes da mesa de discussão do assunto, “não precisamos de mais estímulos para expor as crianças ao abuso sexual. Precisamos coibir o comércio das pulseiras e restaurar princípios fundamentais na estrutura familiar”.

A audiência serviu como mais um alerta para a necessidade de nos voltarmos para a Palavra de Deus, buscando do Alto o conhecimento para colocá-lo em prática em todas as áreas da vida. São louváveis atitudes como essa de proibição do uso das pulseiras tão tendenciosas, como instrumentos de prevenção, mas o mais importante é que pais, educadores e governo estejam sempre voltados para medidas sócio-educativas que contribua para os direitos irrevogáveis das crianças e adolescentes, mas que não as deixem vulneráveis aos modismos do momento. Assim, nem pulseiras, nem bonés, nem camisetas, nem acessório algum poderá dar vazão à violência sexual contra crianças e à erotização precoce. Protejam nossas crianças e adolescentes!

Thalita Daher - Redadação Lagoinha.com

Crise do TRE/MT: Denúncia diz que venda de sentenças é generalizada; pleno aprova apuração e membros, de forma inédita, pedem afastamento


28, maio 2010

Depoimento ‘escancara’ prática ilícita

Prefeitos eleitos em 2008 são citados em denúncias feitas por advogada encaminhada ao Ministério Público Federal

(por Jean Campos) Boatos sobre a prática de venda de sentenças no Judiciário de Mato Grosso que se tornaram recorrentes nos corredores dos órgãos públicos chegaram a ser denunciadas ao Ministério Público Federal (MPF), tornando-se objeto de investigação da Polícia Federal. O depoimento de uma advogada que não se identifica mostra a angústia de alguns profissionais diante da prática “escabrosa” que, segundo ela, estaria “escancarada”. “(…) pelo amor de Deus, faça alguma coisa para barrar a corrupção no TRE-MT, por que caso contrário vou ter que mudar de profissão, pois advogado está perdendo espaço no TRE-MT para corretores de sentença (…)”, diz a advogada logo no início da denúncia que consta nos autos do processo que embasou a operação Asafe.

Salientando o fato de que “estão vendendo até por R$ 500 mil o mandato de um prefeito”, ela aponta pelo menos sete casos suspeitos que passaram a ser objeto de investigação. E pede providências para que a prática não volte a ser utilizada na Eleição de 2010. Ela diz que tirando o juiz Rui Ramos e a juíza federal Adverci de Abreu, haveria “uma quadrilha dentro do TRE”.

O primeiro caso narrado é o de Poconé, onde o prefeito cassado Clóvis Damião (PTB), acusado de compra de votos em 2008, teria pago por meio de seu advogado, André Castrillo, R$ 300 mil por uma liminar para se manter no cargo. O escritório do advogado foi alvo de cumprimento de mandados de busca e apreensão na operação Asafe. Na mesma operação, o prefeito cassado prestou depoimento à Polícia Federal.

Após denúncias de que teria distribuído tickets-combustíveis durante a campanha e outras acusações de abuso de poder econômico, o prefeito de Sinop, Juarez Costa (PMDB), chegou a ser cassado. De acordo com o depoimento da advogada ao MPF, o peemedebista foi cassado porque “não pagou no primeiro momento”. Entretanto, ele conseguiu reverter a decisão pagando R$ 500 mil de propina.

O caso das eleições de Alto Paraguai, acompanhado de perto pela PF com gravações, escutas telefônicas e fotografias, conforme divulgou ontem o Diário, também consta no depoimento.

Outro caso denunciado diz respeito ao prefeito de Tangará da Serra, Júlio César Ladeia (PR), cassado por abuso de poder, que também teria participado de negociação, por intermédio do advogado André Castrillo, para se manter no cargo. Júlio Cesar está afastado do cargo por questão de saúde. Ele se recupera de um acidente de carro ocorrido em dezembro passado.

O depoimento da advogada cita ainda como “casos suspeitos” as eleições de Barão de Melgaço, Nova Olímpia e General Carneiro. Dos casos citados, o prefeito Clóvis Damião é o único que no momento está afastado do cargo. Ela também cita o nome do presidente do TRE.

O esquema, segundo ela, seria viabilizado por um servidor que atuaria na distribuição fraudulenta de processos. Nesta semana, uma equipe do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) esteve no Tribunal de Justiça de Mato Grosso realizando inspeção no sistema informatizado de distribuição de processos como parte de outra investigação sobre denúncia de fraude e manipulação processual.

O documento foi encaminhado em agosto do ano passado ao procurador da Regional Eleitoral, Thiago Lemos de Andrade, e incluído no inquérito que corre em sigilo no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Fonte: Diário de Cuiabá

TRE/MT abre Procedimento Administrativo Disciplinar para apurar denúncias
(da Assessoria) O pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE/MT) aprovou por unanimidade, na sessão plenária desta terça-feira (25), abertura de Procedimento Administrativo Disciplinar interno para apurar denúncias de venda de sentenças pelos membros da Corte.

O requerimento foi apresentado pelo membro do TRE/MT, César Augusto Bearsi e seu substituto, Jeferson Schneider, visando dar cumprimento ao que determina a Constituição da República (art. 3, inciso VIII), a Lei Complementar nº 35/79 (art. 27) e a Resolução nº 30/07 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que atribui ao próprio Tribunal ao qual o magistrado – envolvido nas denúncias – é membro, a competência para a instauração e julgamento do Processo Administrativo Disciplinar.

‘Nos últimos dias veicularam na imprensa matérias agressivas contra a Instituição (TRE/MT). Fazem acusações e repetem acusações, embora digam que não tiveram acesso a nenhuma prova porque o processo corre em sigilo. A Instituição está acima de qualquer membro da Corte e tem que ser ressalvada e protegida. Existe uma acusação e ela precisa ser passada a limpo para que o TRE/MT tenha sua imagem preservada”, destacou César Bearsi.

Eduardo Henrique Miguéis Jacob, cujo nome foi envolvido nas denúncias, acolheu o requerimento. ‘É preciso elucidar os fatos. Houve busca e apreensão na minha residência e no dia posterior, meus advogados protocolaram junto ao Superior Tribunal de Justiça cópias das minhas declarações de renda e um documento o qual coloco a disposição meu sigilo fiscal, bancário e telefônico. Acho providencial esse pedido para que afaste definitivamente essa suspeita que caiu sobre minha pessoa”, destacou.

Favorável ao requerimento, o presidente do TRE/MT, Evandro Stábile, agradeceu a iniciativa e frisou que a mesma é providencial para esclarecer os fatos.

Fonte: TRE/MT

Membros pedem afastamento em dia muito tenso
(por Téo Meneses) Diante da crise que afeta o Judiciário de Mato Grosso, membros que compõem o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiram por unanimidade se afastar dos cargos por tempo indeterminado, o que pode suspender o julgamento de processos e gerar demora na preparação das eleições. Para a decisão, que é inédita no país, ser colocada em prática, no entanto, depende da concordância dos juízes-substitutos que irão se manifestar na sessão da próxima terça-feira (1).

A decisão aconteceu depois depois de uma provocação do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), que pediu afastamento imediato do presidente Evandro Stábile e do juiz-membro Eduardo Jacob, investigados na operação Asafe por suposto envolvimento com venda de sentenças.

Ao receber em mãos o pedido do MCCE minutos antes da sessão plenária que iniciou às 18h, Stábile afirmou em entrevista A Gazeta que não iria colocar o requerimento em votação e sim distribuir a um relator. O juiz Gonçalo Antunes de Barros, no entanto, iniciou a sessão pedindo a inclusão da proposta para votação. Ele se manifestou a favor do afastamento de ambos alegando que, conforme sustentou o Movimento, isso livraria o TRE de suspeitas enquanto Stábile e Jacob são investigados através de um procedimento administrativo.

Segundo a votar, o advogado e juiz-membro Samir Hammoud foi contra a sugestão e disse que a imagem do TRE só ficaria livre de desgaste se todos se afastassem. Para surpresa geral, o Pleno, então, decidiu colocar isso em votação mas rejeitou a proposta do juiz federal César Bearsi para renúncia definitiva dos cargos.

Até Stábile e Jacob votaram a favor do afastamento temporário de todos, assim como o juíz Jorge Tadeu Rodrigues, Gonçalo Antunes e o desembargador Juvenal Pereira. Se a votação for acompanhada pelos substitutos Jeferson Schneider, Sebastião de Moraes, Rui Ramos, Sebastião de Arruda Almeida e Lídio Modesto, todos se afastarão até o fim da sindicância contra os envolvidos na Asafe, inclusive os suplentes, o que, na opinião de muitos advogados, obrigaria a Justiça a nomear novos membros do TRE.

Por ser inédito esse afastamento, muitos advogados divergem sobre os desdobramentos legais disso. Stábile alega ser uma decisão meramente administrativa e, por isso, não acarretaria na vacância dos cargos.

Se um dos substitutos votar contra o afastamento, ninguém vai deixar o cargo. Membros titulares também podem mudar os próprios votos até a sessão de terça.

A decisão não vale para o procurador regional eleitoral em exercício, Gustavo Nogami, que defendeu o afastamento de Stábile e Jacob.

Fonte: GazetaDigital

Carlos Abicalil, por meio de sua assessoria, emite nota de esclarecimento

Autores Diversos | 26, maio 2010 |

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em função de notícia veiculada no Jornal A Gazeta, nesta quarta-feira 26 de maio de 2010, sob o título “Três partidos vão ao CNJ”, com repercussão na mídia eletrônica, o deputado federal Carlos Abicalil, presidente do Partido dos Trabalhadores de Mato Grosso (PT-MT), esclarece:

1 – Foi procurado pelo deputado federal Pedro Henry para exprimir sua preocupação com a politização de ações judiciais;

2 – Não houve apresentação de qualquer documento de referência naquela ocasião

3 – O deputado Abicalil expressou que qualquer ação junto aos órgãos de controle dos Poderes deveria se pautar pela consideração estrita de se fazer observar o devido processo legal em qualquer caso.

Cuiabá-MT, 26 de maio 2010.

Assessoria do deputado federal Carlos Abicalil (PT)

PC do B afasta Chaparral das atividades partidárias


De Barra do Garças - Ronaldo Couto
A direção estadual do Partido Comunista do Brasil (PC do B) resolveu substituir o presidente da sigla em Barra do Garças e punir o ex-prefeito Zózimo Chaparral com 120 dias de afastamento das atividades da legenda. A decisão foi tomada pela cúpula do partido em resposta à decisão do comunista em se posicionar favorável ao pré-candidato ao governo Wilson Santos(PSDB), contrariando o indicativo do partido que segue em aliança com Silval Barbosa(PMDB).

A plenária, que decidiu pela punição do ex-prefeito, aconteceu às portas fechadas na noite de quinta-feira (28) sem os holofotes da imprensa e com a presença do presidente estadual do PC do B, Miranda Muniz, que também evitou dar declarações sobre o assunto.

Quem falou em nome do partido foi o jornalista Antônio Borges Neto, conhecido Netão, que vai assumir a presidência da comissão provisória substituindo o líder comunitário Paulo Henrique, outro que foi disciplinado pela cúpula comunista.

Netão comentou que o PC do B é um partido histórico de mais de 80 anos e faz parte da aliança nacional que elegeu o presidente Lula, tendo como compromisso manter a aliança nacional em Mato Grosso, por isso está na coligação PMDB, PT e PR.

O jornalista informou que respeita a trajetória política de Chaparral, mas entende que o ex-prefeito não está acima do partido e precisa respeitar a decisão da sigla no estado, por isso, está sendo punido.

O líder comunitário Paulo Henrique saiu em defesa do ex-prefeito dizendo que a decisão foi muito pesada contra Chaparral e reclamou de alguns 'camaradas'. “Muitos destes que estão criticando o Chaparral participaram do governo. É o caso do ex-secretário Edvaldo e do próprio Netão”, desabafou.

Usando o termo de que a dose do remédio foi acima do que o paciente precisava, Paulo Henrique fez questão de lembrar que Chaparral nunca falou em nome do partido e sim no caso do seu apoio pessoal para o tucano Wilson Santos.

Chaparral decidiu apoiar Santos como retribuição ao gesto do tucano em 2008 que costurou a participação do PSDB no palanque do PC do B em Barra do Garças. Sobre essa ajuda, Netão recorda que o partido comunista esteve com Santos na disputa em Cuiabá e na opinião dele a dívida está paga.

Paulo Henrique alfinetou que por trás desta aliança com Silval está o interesse de alguns cargos que o partido está tendo e por isso a direção estadual está apertando para cima de Chaparral.

A plenária comunista em Barra decidiu que o partido terá um candidato a deputado estadual e o nome cotado é do ex-secretário Edvaldo. Outra situação de saia justa para Chaparral que já declarou apoio ao petista Odorico Kiko, pré-candidato deputado estadual.

Mato Grosso é a bola da vez, diz presidente da Fiemt


Fiemt apresentou um estudo inédito sobre o crescimento industrial em MT, e diz que é hoje o melhor estado para se investir.

Fiagril, em Lucas do Rio Verde, no médio norte de MT: exemplo da democratização industrial no território matogrossense.

O presidente do Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso, Jandir José Milan, apresentou na quinta-feira (27), às 8h, um estudo inédito sobre o crescimento industrial do Estado.

Ao traçar um comparativo com os estados vizinhos, por exemplo, o estado de Mato cresceu 10 por cento ao ano, nos últimos 10 anos.

Para o empresário este é um número interessante num país onde o índice, em média, é bem inferior, e mostra que o estado, comparativamente a países de alto desempenho econômico, tem crescido à taxa anual, por exemplo, da China – um dos países da Ásia que mais cresce ao redor do globo, atualmente.

Isso tem gerado empregos em todo o território matogrossense. Segundo o levantamento mostrado quinta-feira, o setor industrial emprega atualmente 140 mil pessoas.

Diferentemente do passado, onde as indústrias se concentravam principalmente na capital e na região sul, as ocupações estão esparramadas por investimentos feitos ao longo da BR 163 (Sinop, Sorriso, Nova Mutum e Lucas do Rio Verde); na região leste ((Primavera, Campo Verde e Barra do Garças); e em locais de, historicamente, pouca tradição no setor secundário, como os municípios de Nobres e Rosário Oeste, na baixada cuiabana.

“É um emprego que oferece a mobilidade social, e não tem insalubridade”, avaliou Milan, para as colocações que estão surgindo. Para ele o setor tem propiciado condições de o trabalhador crescer na empresa.

Um outro dado aferido nesse estudo mostra que, mesmo não sendo o Mato Grosso a unidade federativa que mais contribui com a geração de riquezas no país, é o estado que propicia os melhores salários por conta da alta renda per capita.

Um estudo do IBGE revelado nesta semana apontou que os três estados da região Sul (PR/SC/RS) já respondem por 18,5% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

Conforme os dados do Instituto, o Rio Grande do Sul possui o quarto PIB brasileiro - atrás de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro -, o Paraná está em quinto lugar, Santa Catarina em sexto e Mato Grosso em sétimo.

Já a riqueza per capita desses estados deixa a deseja por conta da taxa alta de povoamento. Levando-se em conta que a população do estado não chega a 3 milhões, e que o total do Produto Interno Bruto (PIB) estadual chega a R$ 43 bilhões (35% vem da produção industrial), o valor per capta atinge em MT surpreendentes R$ 17 mil.

Entre os segmentos industriais que registraram maior crescimento, segundo Milan, está a indústria de transformação, com destaque para a indústria alimentícia, gerando a expectativa de que o estado passará, dentre em breve, da condição de exportador de alimentos in natura para exportador de congêneres industrializados, agregando valor ainda mais expressivo à receita estadual.

Aliado ao fato de que o governo implementa ações na área logística, com empreendimentos reais para a conclusão da Ferronorte, ligando o sul ao norte do país através dos trilhos; na melhoria da BR 163 – com saída para o Atlântico através da região norte, duplicação da BR 364 entre Rondonópolis e a capital, Cuiabá; e em projetos de abertura de estradas que cortarão os países andinos como a Bolívia e o Peru – chegando-se ao oceano pacífico, o bom desempenho registrado na indústria tende a dar um boom, transformando Mato Grosso no mais novo celeiro agroindustrial brasileiro.

“As perspectivas para o estado realmente são muitos boas. Posso afirmar com certeza que Mato Grosso se torna estratégico para o país, com reais condições de ser o melhor estado da federação para o empresariado investir atualmente”, confirmou o presidente da Fiemt.

O estudo ‘Retrospectiva Econômica de Mato Grosso foi apresentado na sede do Sistema Fiemt/Sesi/Senai/Iel, na avenida Historiador Rubens de Mendonça (CPA).

Servidores estaduais da Bahia são liberados para assistir aos jogos do Brasil na Copa


Que os brasileiros param para assistir a seleção canarinho na Copa do Mundo não é novidade, mas os servidores estaduais não vão precisar dividir a atenção entre um serviço e um ataque mais decisivo do grupo do técnico Dunga, nem fazer um intervalo de 90 minutos para acompanhar os jogos. Isso porque o governador Jaques Wagner assinou o decreto 12.097, que estabelece jornada de trabalho entre 8h e 14h na estreia do Brasil contra a Coreia do Norte no Mundial, dia 15 de junho, terça-feira. Dessa forma, os funcionários públicos terão tempo de ir para casa para assistir a partida.

A medida vale para todos os jogos que acontecerem em dias úteis. Mas, na primeira fase, a seleção não voltará a jogar em dia útil. A segunda partida é contra a Costa do Marfim às 11h no dia 20, um domingo. A seguinte é contra Portugal às 11h no dia 25, uma sexta-feira, em pleno feriadão de São João, quando os servidores já seriam liberados.
Nas outras etapas do Mundial, pela tabela, não haverá jogo do Brasil pela manhã, mas a seleção pode voltar a disputar uma partida em dia útil, quando os funcionários públicos farão jus ao decreto para ir para casa. Apenas os servidores que trabalham em áreas consideradas essenciais, como saúde e segurança, não serão liberados.

Santayana critica FHC por boicotar visita de Obama (Clik aqui e lêia materia na íntegra na Pagina do E)



Só ajuda quem não atrapalha

É natural que o presidente Barack Obama concorde em postergar a visita que faria ao Brasil ainda durante o governo do presidente Lula. O governo norte-americano tinha interesse na visita de Obama ainda no ano passado, mas as dificuldades da agenda impediram a viagem. A visita foi adiada para este primeiro semestre. O governo brasileiro ponderou que, se ela se fizesse depois disso, poderia “contaminar” o processo eleitoral. Novamente a pressão dos fatos políticos, internos e externos, com a exigência da ação presidencial junto ao Congresso norte-americano, em decisões cruciais para o país, impediu Obama de vir nesta primeira metade do ano. Não há nada, portanto, que se possa considerar desaire para o presidente Lula e o Brasil.

Mas as razões de Estado, que a diplomacia conhece, não as conhecem a inveja nem a esperteza política. Começou a circular – e foi acolhido por um jornal de São Paulo – a informação de que, por detrás dos fatos, houve manobra vitoriosa de contre-diplomatie, praticada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Senhor da intimidade do ex-presidente Bill Clinton, com quem participa de um clube de ex-presidentes (para o qual nunca foi convidado Itamar Franco), o autoproclamado líder da oposição teria persuadido Clinton e sua mulher a dissuadirem Obama de realizar a viagem. Há, nesse boato, que os partidários do ex-presidente se encarregam de espalhar, a intenção deliberada de ofuscar os grandes êxitos da diplomacia brasileira no atual governo – sobretudo quando obtivemos, juntamente com a Turquia, acordo alentador com o governo de Ahmadinejad.

Janete Riva mal saiu da cadeia e ja é acusada de trabalho degradante


DE VOLTA AO FUTURO: Janete Riva nem bem saiu da prisão onde esteve acusada de crime ambiental aparece denunciada pelo Ministério do Trabalho por submeter trabalhadores a condições indignas e degradantes
26/05/2010 - 21:59:00

Por Rodrigo Vargas, na Folha online

Presa desde a semana passada pela Polícia Federal sob suspeita de fraudes ambientais em sua fazenda, Janete Riva (ao centro, na foto), mulher do presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, o deputado José Riva (PP), também expunha trabalhadores da propriedade a condições “indignas e degradantes”, segundo o Ministério do Trabalho.

Relatório de fiscalização realizada no final de abril relata 17 infrações trabalhistas encontradas na fazenda Paineiras, localizada no município de Juara (700 km de Cuiabá) e apontada pela PF como palco de fraudes que resultaram em ao menos R$ 38 milhões em prejuízos ambientais.

Estão entre as irregularidades identificadas pelos fiscais a falta de equipamentos de proteção individual, ausência de instalações sanitárias e de locais para refeição adequados, além do fornecimento de água potável de forma não higiênica.

Convidada pelo Ministério Público a assinar um termo de ajustamento de conduta, Janete Riva se recusou. Depois, impetrou um mandado de segurança na Justiça Federal, pedindo uma liminar para que, até o julgamento de sua defesa administrativa, não fosse obrigada a assinar o documento.

O pedido foi negado hoje pelo juiz Julier Sebastião da Silva, o mesmo que determinou a prisão de Janete Riva por crimes ambientais. Em sua decisão, o juiz diz que as irregularidades trabalhistas foram “constatadas in loco”, mas que a assinatura do TAC é voluntária.

“Somente o assume quem possua interesse na composição ‘amigável’ de determinada situação ilícita. Portanto, assinar ou não o termo de ajustamento de conduta é faculdade da parte responsável pela consumação de ato comissivo ou omissivo”, diz em um trecho.

A reportagem entrou em contato com o advogado Válber Melo, que faz a defesa de Janete Riva. Ele, porém, disse desconhecer a decisão da Justiça Federal.

FONTE FOLHA.COM

STJ: venda de sentença favorecia políticos e traficantes. Inquérito aponta esquema de corrupção no Tribunal de Justiça e na Justiça Eleitoral de MT


MidiaNews

Tribunal de Justiça, juntamente com o TRE, são apontados pelo STJ como focos de corrupção
ANTONIELLE COSTA
DA REDAÇÃO-MIDIANEWS

Investigações do Superior Tribunal de Justiça (STJ) iniciadas em 2007 apontam para uma suposta manipulação de decisões judiciais no âmbito do Tribunal de Justiça de Mato Grosso e no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), mediante exploração de prestígio e corrupção ativa/passiva.

De acordo com o inquérito, a cuja cópia MidiaNews teve acesso, a dona-de-casa Ivone Reis Siqueira e a advogada Célia Maria Cury, esposa do desembargador aposentado José Tadeu Cury, presas durante a Operação Asafe, no último dia 21, pela Polícia Federal, eram as principais articuladoras do "grupo organizado".

Por ser esposa de desembargador, Célia Cury teria trânsito facilitado entre desembargadores, juízes e servidores do TJ. As escutam mostraram proximidade da advogada com o juiz Círio Miotto e com os desembargadores Evandro Stábile, presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), e José Luiz de Carvalho.

Renato César Vianna, ex-membro do TRE, Eduardo Jacob, membro do órgão, e o desembargador Donato Fortunato Ojeda também são investigados pelo STJ.

A dona de casa Ivone Siqueira, segundo o inquérito, se aproveitou do estreito relacionamento com Célia Cury e do fato de ser esposa do servidor aposentado do TJ, Waldir Siqueira, para se associar às negociações.

As interceptações telefônicas registraram possíveis contatos diretos com o juiz Círio Miotto, com o desembargador Carlos Alberto da Rocha e com a advogada e ex-membro do TRE, Maria Abadia Aguiar.

Segundo o inquérito, as negociações contavam com o apoio de advogados, que ingressavam com ações para legitimar as medidas processuais adotadas. São eles: Rodrigo Vieira (genro de Célia Cury), Claudio Manoel Camargo (também genro de Célia), Max Weizer Mendonça (ligado a Ivone), Santos Souza Ribeiro (atuava diretamente com Ivone na intermediação com os clientes), Jarbas Nascimento (ex-assessor de Cury, no TJ). Todos eles foram presos durante a Operação Asafe, mas respondem aos processos em liberdade após cumprir a prisão temporária.

Além disso, as investigações identificaram pessoas detentoras de alguma condição especial, como parentesco com juiz e desembargador: Fernando Jorge Ojeda (filho do desembargador aposentado Donato Fortunato Ojeda, freqüentava regularmente a casa de Ivone e Célia), Alessandro Jacarandá (ex-sócio de Célia - preso na Asafe), Anderson Oliveira Gonçalves, Phellipe Oscar Jacob (filho do membro do TRE, Eduardo Jacob), André Castrilho (proprietário do escritório Castrilho Advogados Associados), Eduardo Gomes Filho (advogado do escritório Castrilho Advogados Associados), Alcenor Alves de Souza (advogado e esposo de Diane Vasconcellos - preso na Asafe), e Bruno Alves de Souza (sobrinho de Alcenor).

Atuação de juízes, desembargador e membros atuais e antigos do TRE, conforme a investigação do STJ:

Círio Miotto - Juiz responsável pela decisão de liminar de habeas corpus no caso Lóris Dilda (preso por matar o irmão), revogando sua prisão preventiva. Sua decisão foi reformada no julgamento do mérito do recurso. Também concedeu liminar, que resultou no alvará de soltura em favor de Moacyr Flanklin, alegando ausência de provas que desabonassem a vida pregressa do acusado, mesmo com sete antecedentes criminais.

Maria Abadia Aguiar - Advogada e ex-membro do TRE, foi responsável pela decisão que manteve o prefeito de Barão de Melgaço, Marcelo Ribeiro, no cargo. Ele havia sido cassado em primeira instância por compra de votos e abuso de poder econômico e político. Segundo inquérito, ele teria recebido dinheiro para proferir decisão favorável a Diane Vasconcellos Souza, esposa de Alcenor Souza.

Renato César Vianna - Advogado e ex-membro do TRE, também teria atuado no caso de Alto Paraguai, em favor de Diane Vasconcellos Souza, inclusive, ligando para o desembargador Carlos Alberto da Rocha.

Eduardo Jacob - Juiz-membro do TRE, foi relator do processo de Alto Paraguai e seu filho Phellipe Jacob atuou como articulador para um encontro juiz com Alcenor Alves. No entanto, deu decisões desfavoráveis a Diane Souza.

Evandro Stábile - Desembargador e presidente do TRE, atuou efetivamente no caso de Alto Paraguai. A equipe de vigilância da Polícia Federal registrou encontro do magistrado com Diane Alves, bem como indícios de vantagem indevida.

José Luiz de Carvalho - Desembargador do TJ, de acordo com o inquérito, deferiu liminar em habeas corpus em favor de "Modestinho", durante plantão judicial e concedendo prisão domiciliar.

Donato Fortunato Ojeda - Desembargador do TJ, de acordo com o inquérito, também deferiu liminar em habeas corpus em favor de "Modestinho", durante plantão judicial .

Outro lado
Por meio de nota enviada pela Assessoria de Imprensa do TRE, o desembargador Evandro Stábile disse estar com a consciência tranquila e que não negociou sentenças.

Confira a íntegra da nota:

"Em razão de notícias veiculadas nesta data, com a intenção de denegrir a minha imagem - não querendo quebrar o sigilo das investigações, embora outrem já o tenha feito -, sinto-me no dever de esclarecer à população, especialmente aos que vêm acompanhando as alterações e melhorias implementadas no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), sob a minha administração, que conheço Luzia Antônia Oliveira Andrade de Carvalho (proprietária da panificadora Tia Luzia) há quase 20 anos, cuja residência frequento habitualmente e, certa ocasião que lá estive, casualmente compareceu Diane Vieira de Vansconcelos Alves, candidata às eleições de 2008 no município de Alto Paraguai, acompanhada de Luiz Carlos Dorileo de Carvalho, funcionário da Federação Matogrossense de Futebol, como aparecem nas fotografias divulgadas, tiradas em local público.

Afirmo com convicção e consciência tranquila que jamais tratei de apoio a qualquer candidato ou parte e nem participo de encontro às escondidas.

Esclareço ainda que o meu gabinete sempre esteve disponível para atender qualquer cidadão, seja ele parte ou não, sempre que procurado".

Evandro Stábile
Presidente do TRE/MT

Maggi se mantem na liderança; Antero e Abicalil disputam a 2ª


Romilson Dourado

O ex-governador Blairo Maggi segue na liderança e estável na corrida ao Senado, aponta a nova rodada da pesquisa Mark, feita entre 19 e 24 deste mês, com abrangência estadual. O nome de Maggi figura com 36,7% das intenções de voto. Se as eleições fossem hoje, o republicano seria eleito para uma das duas cadeiras reservadas à representação mato-grossense no Congresso Nacional. Já pela segunda vaga há uma briga acirrada entre o ex-senador Antero Paes de Barros (PSDB) e o deputado federal Carlos Abicalil (PT). Ambos permanecem praticamente empatados, com índices entre 16% e 17%

Os pesquisadores ouviram 1.120 eleitores em 51 municípios, divididos em 9 regiões. Foram seis dias de trabalho de campo. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos. A amostragem está registrada no TRE-MT, sob protocolo 12914/2010.

Na pesquisa de abril, Maggi aparecia com 36,8% das intenções de voto. Ele manteve o mesmo percentual. Já Antero ganhou dois pontos percentuais, saindo de 17,2% para 19,2%. "Colado" no tucano aparece o petista Abicalil, que continua na casa dos 16%. Já o ex-procurador da República Pedro Taques, pré-candidato pelo PDT, perdeu espaço na corrida ao Senado. Antes, na amostragem feita entre 16 e 21 de abril, ele aparecia com 9,3% e, agora, caiu para 5,1%. Hoje, votariam em branco ou nulo 19,5%, enquanto 2,8% se declaram indecisos.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Diploma de economista de José Serra é contestado por Conselho


Seu Serra

Por Sitônio Pinto*

O Conselho Federal de Economia nunca se manifestou sobre o pedido de interpelação judicial e o conseqüente enquadramento do candidato José Serra no Art. 47 do Dec. Lei. 3.688/41, feito pelo Conselho Regional de Economia da Paraíba e endossado pelos Conselhos Regionais do Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Piauí, Alagoas, Maranhão, Rondônia e Tocantins, e por dois membros do Conselho Federal de Economia. O pedido teve por motivo o uso indevido da qualificação de economista pelo candidato Serra, que não tem bacharelado em economia nem é registrado em qualquer Conselho Regional de nenhum estado brasileiro. O procedimento do candidato caracteriza falsidade ideológica e charlatanismo, em prejuízo dos que exercem legalmente a profissão.

O Corecon-PB fez a sua parte, denunciando a irregularidade e pedindo providências à entidade competente, - no caso o Conselho Federal de Economia, parte legítima para uma iniciativa jurídica, pois congrega todos os Corecons do Brasil, onde, hipoteticamente, Serra deveria estar inscrito como economista.

Por coincidência, logo após a denúncia do Corecon-PB, seu presidente, economista Edivaldo Teixeira de Carvalho, teve sua residência invadida por três homens armados que lhe roubaram um automóvel e outros objetos de valor. A violência não parou aí. Telefonemas ameaçadores foram transmitidos à casa de Edivaldo, com a recomendação de que ele ficasse quieto. Sua casa foi rondada por automóveis em atitude suspeita.

É de estranhar também a omissão do Confea, entidade que reúne os Conselhos Regionais de Engenharia e Arquitetura (Crea), que até agora não se manifestou sobre o uso do título de engenheiro pelo candidato José Serra. Nenhum dos Creas também se pronunciou sobre o assunto. Enquanto o silêncio das entidades permanece, Serra continua apresentando-se à população brasileira como engenheiro, no seu marketing político, da forma que se pode ver no último exemplar da revista Istoé, nº 1721, de 4/9/2002, página 53, na matéria O homem segunda-feira, linhas 10 e 11, onde a reportagem diz que Serra é engenheiro e economista.

É inexplicável silêncio dos Creas e da Confea. Deveriam e poderiam mirar-se na atitude zelosa do Corecon-PB, e, na defesa das profissões que representam, protestar contra o emprego enganoso e politiqueiro da falsa titularidade arrotada pelo candidato Serra, que não tem título de bacharelado em nenhuma ciência, mesmo as ocultas.

*Sitônio Pinto é Jornalista, escritor, publicitário, Membro do IHGP, da academia paraibana de letras e da academia de letras e artes do nordeste sitoniopinto@gmail.com
Mais sobre o tema aqui, aqui, aqui, aqui e aqui no ContextoLivre.

José Serra: O Candidato das Elites



escrito por Guina em 27/05/2010

Uma nota foi publicada no Valor Econômico, com o título de "Empresário aprova Lula, mas vota Serra", e mostra uma enquete realizada pelo jornal sobre a preferência dos empresários brasileiros na próxima eleiçõa presidencial:

"Os negócios de todos os 142 empresários e executivos que participaram de enquete feita na terça-feira, durante a entrega do prêmio "Executivo de Valor", cresceram de forma significativa nos últimos oito anos. A maioria, no entanto, pretende votar na oposição na eleição presidencial de outubro. O ex-governador José Serra (PSDB) recebeu 111 votos (78%) e a ex-ministra Dilma Rousseff, 13 votos (9%). A senadora Marina Silva (PV/AC) foi votada por oito entrevistados e o deputado Ciro Gomes (PSB/CE), por um."

Em trecho da matéria, republicada no site do Diap vemos o porque:

"Serra, o candidato do PSDB não é o candidato dos empresários apenas por simpatia, mas, sobretudo pelo programa tucano - privatista, que corta despesas com programas sociais. Por estas características, se apresenta, ainda que não queira, como o candidato dos ricos, como o foi em 2002."

Interessante foi ver alguns comentários de leitores sobre a matéria no referido site e acabei por selecionar dois deles, pois são pertinentes e refletem muito do que penso sobre essa enquete:

"Esses Empresários não estão com nada...Cambada de sangue-sugas, estão loucos que o Serra ganhe para voltar a poca vergonha Nacional onde uma minoria goze de todas as regalias e o pobre cada vez mais miseravel. Só que estamos em novos tempos e o povo não é bobo e quer a continuidade de uma vida com mais dignidade, mais educação, mais moradias decentes, mais emprego digno, mais geladeiras cheias, viajar pelo mundo...E isso podemos dizer com orgulho foi o Presidente Lula que abriu esses caminhos a duras penas.... nem divída com o FMI temos desde de seu primeiro mandato vem governando o Brasil como nenhum presidente das elites governou...Basta ver os Prêmios e o reconhecimento do mundo inteiro,com um dos mais importantes Político e Lider do Mundo.. Lula é um ser tão abençoado que teve uma sensibilidade para indicar uma Mulher para ser sua sucessora...Dilma...Dilma..Poderosa..Capaz..Vencedora..Esses Epresários deveriam se render e ajudar assumindo projetos Sociais para que todos tenham seus direitos Respeitados...Se eles não quiserem abrir os olhos azar deles Engoliram o Lula e vam ter que engolir uma mulher pondo ordem na Casa...e viva nós o povo Brasileiro...poque nós PODEMOS..." (Maria Aparecida de Lima)

"Esquecem esses empresários que criticam os tais "gastos públicos", na verdade são gastos para atender justamente os interesses deles mesmos, por meio de financiamentos subsidiados, prazos a perder de vista e por aí a fora!
Os privateiros de plantão estão esfregando as mãos com a possibilidade, em minha opinião, bem remota, dos privateiros da social privataria brasileira (psdb, demos etc) retornarem ao poder.
Não vêem a hora de meter a mão no que ainda resta de estatal e que podem levar de graça e ainda recebendo dinheiro a mais, conforme ocorreu em tempos recentes. Como seria a política de crédito no Brasil, durante a crise gerada pelos tais neoliberais, se não fossem os Bancos Públicos? Para quanto teria subido o preço da gasolina, entre outros, quando o barril de petróleo bateu na casa dos 190 dólares, se a Petrobrás já tivesse em mãos inescrupulosas como as que mantêm os serviços (péssimos) de telefonia, por exemplo? Não gosto muito do governo Lula, entretanto, comparado com os bicos grandes, chega ser angelical. Fora Serra e seus demos!" (Nelson)

Vê-se claramente que José Serra é o candidato preferido das elites porque faz parte da "filsofia" do PSDB, DEM e cia., sempre governarem para uma minoria que detêm o poder econômico no país. Faz parte da biografia de José Serra, esta forma de governar privilegiando quem tem mais em detrimento das classe trabalhadora.

E não podemos deixar cair no esquecimento que, outra pesquisa realizada em dezembro de 2009 pela consultoria MCM em São Paulo (fundada por Maílson da Nóbrega) mostrou que 73% de seus 154 clientes (do mercado financeiro) apoiam Serra como presidente, contra apenas 5% por cento para Dilma.

Resumindo: José Serra não é só o "preferido" dos empresários. Mais também dos banqueiros, latifundiários, dos barões da mídia, dos barões das concessionárias de pedágios...
Enfim, a luta do povão, da classe trabalhadora, estudantes e todos aqueles que sonham com um Brasil mais justo e igualitário é resumida num fato: Dilma, a candidata do povo x José Serra o candidato das elites.

Dilma cresce nas redes sociais


A pré-candidata, Dilma Rousseff, está ganhando admiradores e seguidores nas redes sociais. Desde a criação do perfil no Twitter, no mês passado, o @dilmabr já contabilizou mais de 68 mil seguidores. No Orkut, Dilma têm mil membros – quantidade máxima permitida pela rede. Já os amigos do Facebook passam de 2600.

As ferramentas têm sido um excelente canal de comunicação, onde Dilma recebe, responde sugestões, críticas e muitos elogios dos internautas. Os seguidores do Twitter, por exemplo, costumam divulgar momentos em que a Dilma participa de programas ao vivo na internet ou na televisão, frases marcantes da pré-candidata, dentre outros assuntos importantes.

O Dilma na Web separou alguns comentários divulgados nas redes sociais. O internauta do Twitter, @iadnasantos, fez questão de ressaltar sua admiração pela pré-candidata. “Eu estou torcendo por vc!Te admiro muito!”. “Uruguaiana - RS esta contigo é não abre”, disse @camila_inda para o @dilmabr.

Os elogios no Orkut também são frequentes. Danielle acompanhou o debate transmitido, na terça-feira (25), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e ressaltou o desempenho da pré-candidata. “Bom dia, estou agora mesmo assistindo a sabatina da CNI. A senhora tem se saído muito bem e mostrado a importância de saber governar. Um grande abraço”.

“Brava Dilma. Além de coragem, o Presidente Lula provou que o mais importante é ter espírito público e um projeto de Brasil para a maioria dos brasileiros, não apenas para os privilegiados de sempre. Por isso, vamos adiante contigo, para desenvolver e ampliar as conquistas já alcançadas”, disse Mmadu Mario Madureira no Facebook.

Você também pode enviar recados e sugestões para a Dilma. Participe! Adicione a pré-candidata nas redes sociais.

Fonte: Dilma na Web

Abicalil e Lula participam da 4ª CNCTI


O vice-líder do Governo no Congresso Nacional, deputado federal Carlos Abicalil (PT), acompanhou o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na abertura da 4ª Conferencia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, que começou quarta-feira (26.05), em Brasília.

Coordenada pelo Ministério de Ciência e Tecnologia e pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos do órgão, a conferência tem como objetivo central a elaboração de diretrizes para a consolidação de um Sistema Nacional articulado que promova a efetiva cooperação entre as esferas federal, estadual e municipal, para consolidar a Política Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (C,T&I).

Segundo Abicalil, o Governo está concluindo o primeiro Plano de Ação da área, chamado de PAC da Ciência, que conseguiu triplicar os recursos orçamentários para investimentos no setor. “Estas ações tiveram o envolvimento inédito que tem mobilização desde a educação básica, com incentivo a capacidade inventiva de jovens – como as olimpíadas de matemática e ciência –, bem como um novo despertar do setor empresarial brasileiro para um patamar que alcançaremos em breve”, disse.

Abicalil destaca que o Governo está com forte investimento no segmento, com mais três centros de pesquisa, sendo um deles no Pantanal, no Estado de Mato Grosso. Ele lembra que a definição do centro se deu há dois anos e na quarta-feira (26), o presidente Lula encaminhou mensagem ao Congresso Nacional. “Deste modo teremos na diversidade, biomas e capacidade, portanto, ações que levam a biodiversidade como uma riqueza nacional, bem como investimentos que levam para além da verticalização da produção. Assim podemos sair da condição de exportadores majoritariamente de apenas commodities”, explicou.

Ainda de acordo com o parlamentar, o presidente Lula tem correspondido à necessidade manifestada pela chamada sociedade do conhecimento. “O Governo tem correspondido em um patamar de relevância de investimentos e da produção cientifica e tecnológica do país”, enfatizou.

A Conferência contou com a presença de parlamentares, ministros, analistas, pesquisadores e empresários para debater e formular propostas para que se consolide, nos próximos dez anos, uma Política de Estado em Ciência e Tecnologia com foco no desenvolvimento sustentável.

Programação – Na quinta-feira (27), os convidados participaram de solenidade comemorativa dos 25 anos do Ministério de Ciência e Tecnologia. A sessão de encerramento, sexta-feira (28), fica por conta da palestra "Um olhar para o futuro", de Sérgio Mascarenhas.

A conferência pretende avaliar a ciência produzida no Brasil nos últimos anos e o resultado do Plano de Ciência Tecnologia e Inovação, além de criar uma política sustentável para setor nos próximos 10 anos.

Com vasta programação de debates e palestras, a conferência tem ainda a participação do mais alto oficial do governo canadense na área de ciência, o presidente do Conselho de Ciência, Tecnologia e Inovação do Canadá, Howard Alper, que apresentará as experiências canadenses de políticas de inovação.

Lei veda participação de Serra em programa do DEM


Os principais caciques do DEM desapareceram. E desligaram os telefones - pelo menos até agora.
Irá ao ar hoje à noite, em meio ao Jornal Nacional, o programa de 10 minutos de propaganda do partido.
A lei dos partidos, de número 9096 de 1995, diz no artigo 45, parágrafo 1, que fica vedada a participação [no programa] de pessoas filiadas a partidos que não são responsáveis pelo programa".

José Serra, pré-candidato à presidência da República pelo PSDB, não pode participar, a se levar a lei em conta - de resto como deve ser.
Mas circulam informações de que participará, sim.
Há pouco, o senador Sérgio Guerra, presidente do PSDB, informou a um amigo que "a participação de Serra se dará nos limites da lei".
A lei não estabelece limites - simplesmente veda.
Aguardemos o programa.

Se a lei for desrespeitada, o DEM poderá ser punido com a cassação do seu próximo programa, previsto para 2011. Assim como o PT já foi por ter usado seu mais recente programa para fazer propaganda eleitoral de Dilma.
E Serra correrá o risco de ter cassado o registro de sua candidatura quando o formalizar.
Atualização das 16h03 - Acabei de saber de boa fonte que Serra aparecerá, sim, no programa desta noite do DEM.

Blog do Noblat
Cadê o TSE, o ministro Marco Aurélio de Mello, a procuradora Sandra Cureau? Será que eles vão multar o Serra, o DEM, como fizeram com o presidente Lula e Dilma? Ou sendo o DEM, o Serra pode, está limpo? Sabendo disso que Serra vai aparecer no programa do DEM o TSE poderia impedir o programa de ir ao ar, porque não impede?

CHARGE DO BESSINHA

Justiça Eleitoral do Rio torna Garotinho inelegível e cassa mandato de Rosinha


DE SÃO PAULO
O TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral) do Rio de Janeiro cassou o mandato da prefeita de Campos dos Goytacazes, Rosinha Garotinho (PR), por abuso do poder econômico.

A decisão também torna ela e seu marido, o ex-governador e pré-candidato ao governo Anthony Garotinho (PR), inelegíveis por três anos.

Para a Justiça, a prefeita foi beneficiada por "práticas panfletárias" da rádio e do jornal "O Diário" na eleição de 2008. Como Rosinha teve mais de 50% dos votos, o tribunal pediu novas eleições.

"Os fatos foram inadmissíveis. O pleito eleitoral tem que ter uma lisura absoluta, trata-se de um direito da sociedade", afirmou o presidente do TRE, Nametala Jorge, que desempatou o julgamento que estava em 3 a 3.

A assessoria do casal afirma só irá comentar a decisão após a notificação. No entanto, lembra que pode recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Dilma, em pesquisa no Piauí, alcança impressionantes 33,6% na espontânea


Pesquisa do instituto CAPTAVOX, divulgada no Jornal do Piauí/TV Cidade Verde, mostra crescimento de Dilma Rousseff no estado, com um índice impressionante na pesquisa espontânea:

Presidente – Estimulada
Dilma Roussef (PT) 47,0%
José Serra (PSDB) 32,8%
Marina Silva (PV) 4,3%
Plínio Arruda (PSOL) 0,3%
Nenhum/ Branco/Nulo 4,4%
Indecisos 11,1%

Presidente – Espontânea
Dilma Roussef (PT) 33,6%
José Serra (PSDB) 19,4%
Marina Silva (PV) 2,0%
Lula (PT) 5,2%
Plínio Arruda (PSOL) 0,1%
Fernando Henhirque (PSDB) 0,1%
Ciro Gomes (PSB) 0,1%
Geraldo Alckmim (PSDB) 0,1%
Nenhum/ Branco/Nulo 3,0%
Indecisos 36,5%

Presidente- Rejeição
José Serra (PSDB) 24,6%

Plínio Arruda (PSOL) 18,6%
Dilma Roussef (PT) 15,8%
Marina Silva (PV) 13,7%
Não Rejeita Ninguém 7,8%
Indecisos 19,5%

A pesquisa foi registrada no TRE com o número do 10.865/2010, foi realizado entre 19 e 23 de maio com 1.182 entrevistas, e a margem de erro é de 2,85%.

Comentário:
Impressiona a pesquisa espontânea (quando o eleitor cita o seu candidato preferido sem que seja apresentado nenhum nome), onde Dilma já aparece com 33,6%. E ainda há 5,2% que responderam "Lula".


Na pesquisa estimulada, apesar da grande vantagem 15 pontos, Serra ainda está inflado e Dilma ainda está longe de atingir o topo.

PREFEITURA DE JUÍNA E CONSÓRCIO VALE DO JURUENA RECUPERAM LINHA-5 QUE LIGA JUÍNA A ARIPUANÃ

Pecuária de corte será tema de evento em Juína


Considerada uma dos importantes componentes da matriz econômica da região noroeste de Mato Grosso, a pecuária de corte será tema do I Simpósio Local sobre Cadeias Agroindustriais Matogrossenses, que será realizado no dia 10 de junho de 2010, a partir das 15 horas, no auditório da AJES – Faculdades do Vale do Juruena, no município de Juína, localizado a 780 km da capital de Mato Grosso, Cuiabá. O evento acontece durante a 1ª Semana da Comunidade na AJES, que se realizará entre 07 e 11 de junho de 2010.

Promovido pelo Departamento de Administração e Ciências Contábeis da AJES – Faculdades do Vale do Juruena, o evento conta com o apoio institucional da ACRIMAT – Associação dos Criadores de Mato Grosso, FAMATO – Federação da Agricultura do Estado de Mato Grosso, INDEA-MT – Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso, IFMT – Instituto Técnico Federal de Mato Grosso Campus Juína, Sindicato Rural de Juína e Cooperativa dos Produtores de Leite de Castanheira.

A entrada é gratuita e as inscrições podem ser realizadas na secretaria da AJES até o dia 06 de junho de 2010. As vagas são limitadas. Maiores informações podem ser obtidas através do e-mail coord.adm.ajes@gmail.com ou através dos telefones (66) 3566-6172 ou (66) 9959-7897, falando com a Profa. Mara Freitas.

Conheça a Programação do evento e participe:

15h – Abertura

15h10min – 18h10min
Painel I – Visão Geral sobre a Cadeia Agroindustrial da Pecuária de Corte
Debatedores:
• Panorama do mercado global de carnes
Luciano de Souza Vacari
Superintendente da ACRIMAT - Associação de Criadores de Mato Grosso

• Panorama do mercado da região noroeste de Mato Grosso
Nildomar Gusmão de Souza
Pecuarista e Presidente da Associação de Produtores de Leite de Castanheira

José Antônio Marques
Pecuarista e Diretor do Sindicato Rural de Juína

• Relação da Sanidade Animal com a Competitividade da Carne Matogrossense
Márcio Adélio de Carvalho
Médico Veterinário e Fiscal Agropecuário do INDEA-MT

18h20min – 18h40min – Intervalo

18h40min – 20h40min
Painel II – Panorama sobre novas regras de pagamento à Pecuaristas e Funrural

Debatedores:
• Novas regras de pagamento à Pecuaristas e Funrural
Francisco de Assis do Amaral
Coordenador Geral do Centro Boi

• Sustentabilidade na Agropecuária Matogrossense
Thiago Mattosinho
Gerente Geral do Departamento Técnico da FAMATO

20h40min – 21h00min – Intervalo

21h00min – 22h30min
Painel III – Desdobramentos da cadeia agroindustrial da pecuária de corte no Noroeste Matogrossense: um passo possível?

Debatedores:
• Alternativas de agregação de valor à carne bovina: alternativas de agroindustrialização
Profa. Mayra Fernanda de Souza- IFMT JUINA

• Desdobramentos industriais no contexto da pecuária
Profa. Adm. Mara Luiza Gonçalves Freitas – AJES

Maiores informações:
Assessoria de Comunicação da AJES
66 3566-6172

Silval abre 12 pontos de frente e tem 38%; Wilson é 2º colocado com 26%


Romilson Dourado

O peemedebista Silval Barbosa ganhou 12 pontos percentuais nos últimos 30 dias e assume a liderança na corrida ao Palácio Paiaguás, revela a segunda rodada da pesquisa Mark, realizada em parceria com o RDNews entre 19 e 24 deste mês. Neste mesmo intervalo de tempo, os pré-candidatos Wilson Santos (PSDB) e Mauro Mendes (PSB) caíram 3 pontos. O instituto ouviu 1.120 eleitores em 51 municípios. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos.

Na amostragem feita entre 16 e 21 de abril, menos de um mês depois de Silval ter assumido a cadeira de governador, seu nome aparecia com 30,9% e empatado literalmente com o ex-prefeito de Cuiabá Wilson Santos, que aparecia com 30,2%. Agora, o peemedebista figura com 38,2%, o que o coloca na condição de primeiro colocado, mesmo depois de dois escândalos que atingiram em cheio o Paiaguás, o que revelou indícios de superfaturamento na compra de maquinário e as diversas prisões, inclusive do ex-secretário de Meio Ambiente Luís Daldegan, do então adjunto da pasta Afrânio Migliari e de três assessores do gabinete do governador por causa de crimes ambientais.

Wilson, que renunciou ao Paiaguás para concorrer a governador, estava com 30,2% no mês passado e conta agora com 26,2%. Mendes também caiu, segundo apurou a pesquisa. Contabilizava 19,9% das intenções de voto e hoje tem 16,1%. O percentual de eleitores indecisos, mesmo a 15 dias do início das convenções e a quatro meses das eleições gerais, ainda é considerável. Se as eleições fossem hoje, 17,2% disseram que não saberiam em que votar para governador. Já 2,3% anulariam o voto.

Trabalho de campo

A pesquisa está registrada no TRE-MT, sob número 12.914/2010. O trabalho de campo abrangeu 51 municípios de 9 regiões, sendo elas Baixada Cuiabana, Norte, Sul/Leste, Médio-Araguaia, Extremo-Norte, Noroeste, Oeste, Médio-Norte e Baixo Araguaia - confira quais os municípios no quadro abaixo. Dos entrevistados, 97% moram na zona urbana e, 3%, na rural. São do sexo masculino 52,3%, enquanto 47,7% dos entrevistados são do feminino. Sobre a idade, 3,3% têm entre 16 e 17 anos; 16,9% estão na faixa que varia de 18 a 24; enquanto 27,1% possuem entre 24 e 34. Dos entrevistados, 24,6% disseram ter entre 35 e 44 anos; 21%, de 45 a 59 e 7,1% contam com mais de 60 anos. São analfabetos e/ou estudaram o primário incompleto 8,7%, enquanto 20,1% possuem o primário concluído e/ou 1º grau por terminar; 31,8% fizeram o ensino fundamental e/ou médio incompleto; 24,9% o 2º grau completo e/ou curso superior incompleto; e 4,6% já têm o terceiro grau finalizado. Quanto à renda familiar, 3,5% dos que emitiram opinião disseram ganhar até um salário mínimo; a maioria (61,6%) conta com renda entre um e cinco mínimos; 29,8% entre 5 e 10%; 4,4% de 10 a 20 e somente 0,7% declarou acumular mais de 20 salários mínimos por mês.

Quanto pior, pior!


KLEBER LIMA

Os deputados José Riva e Pedro Henry vocalizaram a denúncia de que as recentes operações da Polícia Federal, Ministério Público Federal e Justiça Federal em Mato Grosso guardam uma mal-disfarçada estratégia de "judicializar" as eleições deste ano no Estado - colocando, não pelo voto, mas pela belicosa ação do aparato jurídico-policial -, a classe política em geral no limbo perante a opinião pública e o público, e com isso criar o ambiente de ‘terra arrasada' para o posterior surgimento dos salvadores da pátria, determinados a tirar o Estado do esgoto.

Não estão sozinhos nessa tese quase unânime entre políticos, embora tenham sido os únicos, até o momento, com coragem de dizê-lo publicamente.

Os autores de tal estratégia seriam, basicamente, o juiz Julier Sebastião da Silva, o procurador da República Mário Lúcio Avelar e o ex-procurador da República Pedro Taques, que seria, de acordo com a denúncia, o beneficiário-mor direto do expurgo ético, uma vez que é (pré) candidato a senador este ano. Dos acusados, Pedro Taques e Julier reagiram. Este mais comedido, apenas tentando explicar suas decisões; já aquele, de forma mais contundente, acusando seus antípodas de criminosos, com os quais não se preocupa.

De fato, Mato Grosso está vivendo um momento único da sua história. Praticamente todas as instituições estaduais estão sob intensa exposição. Nos últimos meses Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público, Maçonaria, Igrejas, Entidades, Empresas, estiveram ou estão relacionadas a escândalos que invariavelmente envolvem corrupção e acabam nas páginas policiais.

Alguém que chegasse ao Estado nesse momento, ou que tivesse parado para observá-lo pela imprensa, mesmo estando fora, pensaria tratar-se de uma grande lavanderia ética e moral a que todos nós estaríamos submetidos.

A exposição no sentido do controle social, da transparência a que todas as instituições públicas devem estar submetidas, da fiscalização, da apuração de eventos suspeitos, etc, será sempre bem-vinda, visto que é benigna ao tecido social e democrático. No momento em que a exposição vira execração, contudo, o benigno vira maligno e o futuro passa a ser a incerteza.

As recentes operações da justiça e polícia federal em Mato Grosso com suas prisões no atacado - e as que estão por vir, segundo se especula em toda esquina -, e suas repercussões na vida social do Estado forçam à reflexão se estamos de fato vivendo uma grande e inevitável exposição das nossas feridas, ou, por outro lado, se muito desse triste espetáculo não é mera execração, se vivemos uma judicialização das eleições ou um justiciamento de políticos.

Se os argumentos de Riva e Henry não interessam a Pedro Taques e a Julier, deveriam interessar à sociedade, assim como os argumentos das nossas autoridades jurídicas. Afinal, se estamos mesmo no ‘merdatório', se tudo e todos em Mato Grosso somos bandidos, perigosos criminosos, sem direito a defesa, vítimas de nossa própria cobiça, vaidade e maldade inata, por que, afinal, apenas algumas ilustres autoridades judiciais federais estariam limpos nessa fedentina toda e seriam as merecedoras do nosso crédito?!

Na turba que se armou no Estado, cujas conseqüências não estão todas determinadas, está reservado um papel fundamental à sociedade. O primeiro e é tomar consciência de que o "quanto pior, melhor" é inconseqüente e reacionário, e leva à barbárie em vez da esperança. O segundo é exigir que tudo aquilo que seja suspeito de ferir o interesse público seja, sim, firmemente apurado e posto à prova, levado aos tribunais e, sendo o caso, sentenciado da forma mais veemente permitida pela lei.

E o terceiro é não tolerar que em nome de um senso de justiça faccioso, que foca personagens e não coletividade, direitos fundamentais sejam violados, que o devido processo legal seja pisoteado, que o Estado Democrático de Direito seja desrespeitado. Afinal, ninguém individualmente, a menos que pense ser Deus, pode decidir aquilo que só pode ser determinado pela vontade soberana do cidadão em uma democracia, que é o voto.

Esse debate sobre a judicialização ou não das eleições deste ano em Mato Grosso acaba precedendo outros temas, como desenvolvimento, sustentabilidade, etc, pois, sendo verdade que há magistrados tentando tomar o lugar do eleitor; sendo verdade que todos os nossos políticos são ladrões e criminosos, talvez seja melhor nem termos eleições e rogarmos por ajuda divina, porque toda sociedade que precisa de um salvador da pátria já está deteriorada e não o sabe.

KLEBER LIMA é jornalista e consultor de marketing em Mato Grosso.
kleberlima@terra.com.br.