BLOG PROGRESSISTA - NOTICIAS PREFERENCIAIS DO PT

RESPONSÁVEL MARIO ALVIM DRT/MT-1162

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Dilma: Lei de Valorização do Salário Mínimo garante estabilidade e segurança



No programa “Café com a Presidenta”, transmitido na manhã desta segunda-feira (28), em rede de emissoras de rádio, a presidenta Dilma Rousseff abordou a lei que estabelece a política de reajuste do salário mínimo e comemorou a geração de 152 mil novos postos de trabalho em janeiro deste ano.

Segundo a presidenta, “esse é um momento importante para o trabalhador” pois conta com lei que dá “segurança e estabilidade” a quem recebe o piso nacional. E ela explicou que a lei permite que todos os trabalhadores saibam com antecedência como são as regras de reajuste até o ano de 2015.

“Quero lembrar que a lei de valorização do salário mínimo consolida um acordo fechado pelo governo Lula com os trabalhadores, por meio das centrais sindicais, ainda em 2007. A primeira regra, Luciano [Seixas, entrevistador do programa "Café com a Presidenta"], acertada é a seguinte: é preciso garantir que o salário mínimo não perca o valor e, para isso, ele precisa acompanhar a inflação. Porque se o preço do alimento subir, o preço do transporte subir, o preço das roupas subir, o salário também tem que subir junto.”

A presidenta Dilma Rousseff explicou que o critério vai além da reposição da inflação do período. Ou seja, a política determina também o acréscimo da taxa de crescimento da economia. “Então, o que ficou acertado é a segunda regra: além da inflação, o salário mínimo tem que ter um ganho real, uma valorização. E esse aumento real deve acompanhar o crescimento da economia. Você sabe, não é, Luciano, que o aumento da economia aparece em um número chamado Produto Interno Bruto, o PIB. É ele que, todo ano, diz se a economia cresceu ou não, e quanto ela cresceu”, disse.

Porém, se a economia retrair, os trabalhadores terão assegurados o reajuste por meio a reposição da inflação. A presidenta Dilma garantiu que o trabalhador não vai “perder salário”. “Quando a economia não cresce ou mesmo diminui, o cálculo do reajuste considera que o crescimento do PIB foi zero, nulo – não há desconto de salário mínimo. Mas o mínimo, ainda nesse caso, tem a correção pela inflação. É o que aconteceu em 2009. A economia caiu, o mínimo não caiu, ele vai ser corrigido agora pela inflação e, por isso, vai chegar a R$ 545,00″, afirmou.

E, para o ano de 2012, o novo salário mínimo deve ficar em R$ 616,00. Isso ocorre porque a economia cresceu acima de 7% e, se acrescido da estimativa da inflação, o índice de reajuste deve fechar em 13%, aplicado sobre R$ 545,00 projeta-se um mínimo de R$ 616,00.

“O que nós queremos é continuar a valorização do salário mínimo para gerar riquezas e para fazer a roda da economia girar com vigor, porque o salário mínimo tem impacto direto na vida das pessoas e na economia do país. Isso significa mais comida na mesa, uma vida melhor para muita gente, e mais dinheiro circulando, não é, Luciano, o que faz a roda da economia girar.”

Na entrevista, a presidenta Dilma comemorou a marca de 152 mil empregos criados em janeiro de 2011. Segundo ela, com o aumento da produção abrem-se frentes de trabalho que permite fazer “a roda girar”. A presidenta avaliou que desde 1992, quando o governo começou a acompanhar o comportamento do mercado nunca tinha registrado um crescimento da oferta de emprego tão elevado.

“Uma comprovação disso é a quantidade de empregos criados agora em janeiro: 152 mil novas vagas. É um sinal importante. Olha, desde [19]92, o governo acompanha o mercado de trabalho, e nunca havia registrado um crescimento das vagas tão grande no mês de janeiro como aconteceu no ano passado e este ano. Isso é a roda da economia girando, Luciano. E se depender do empenho do meu governo, tenha certeza, essa roda vai girar mais e mais, vai ajudar o país a gerar riquezas, a reduzir a pobreza e a construir uma vida melhor para todos e todas. Por isso, Luciano, o lema do meu governo é: país rico é país sem pobreza.”

Escola de formação petista terá mais apoio para ensino a distância

A Escola de Formação do PT vai ter uma nova ferramenta de interação. Trata-se de um portal na internet, que foi anunciado pelo secretário Nacional de Formação, Carlos Henrique Árabe, ao programa TVPT Entrevista. Com isso, a Escola de Formação vai ter um espaço eletrônico totalmente voltado para suas próprias atividades, incluindo a modalidade de educação a distância. Árabe esclareceu que esse fortalecimento da Escola já está assegurado pela direção do Partido.

Em um balanço da Jornada Nacional de Formação, iniciada em 2009, Árabe informou que o Partido já tem mais de mil formadores, todos voluntários. O esforço da Escola, agora, será o de aproveitar essa capacidade de multiplicação para chegar às bases do partido. O tema também foi discutido na reunião do Conselho da Escola, que define a estrutura e o funcionamento das tarefas de formação. (Chico Daniel – Portal do PT)

Clique aqui para mais informações sobre a Escola de Formação Política do PT

TVPT - Clique aqui ou na tela abaixo e assista a entrevista de Carlos Henrique Árabe

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

José Serra, o eterno candidato



José Serra, candidato tucano derrotado duas vezes á presidência, ainda não desceu do palanque e está causando constrangimento a seus pares. Serra acusou a presidente Dilma Rousseff de marchar para "um estelionato eleitoral".

O senador Lindberg Farias (PT-RJ), reagiu a declaração do tucano em busca de holofote da mídia;

"Como falar em estelionato eleitoral menos de dois meses (depois) do início do governo Dilma? Quem entende bem de estelionato é o Serra, que assinou um documento em cartório prometendo cumprir seu segundo mandato de prefeito até o final".

Alguns políticos tucanos reprovaram reservadamente o tom de Serra

Nos bastidores, a postura assumida por Serra, de continuar no palanque de campanha eleitoral. tem incomodado não só uma parte dos tucanos, como também representantes do DEM. Há quem tenha percebido nas entrelinhas da entrevista do ex-governador muito mais que uma simples sinalização de que ele pretende se manter na vida pública. A impressão de alguns deles é que Serra não só trabalha para viabilizar uma nova candidatura à Presidência em 2014, como para impedir a possibilidade de o senador Aécio Neves (PSDB-MG) entrar na disputa.

Ouvi na semana passada de um deputado tucano que a ausência de Serra do cenário nacional ajuda a arejar o partido e diminui o clima de tensão e medo que prevaleceu nos últimos anos em razão de sua influência no comando do PSDB - confidenciou um líder da oposição, preferindo não ser identificado.

Dilma, sem medo de ir ao pré-velório da Folha, toma a bandeira da liberdade de expressão do PIG


O jornalão Folha de São Paulo chega aos 90 anos em clima de velório: em decadência nas vendas, recentemente perdeu o posto de jornal de maior circulação do Brasil.

Ontem, na segunda-feira à noite, o jornalão resolveu fazer uma solenidade alusiva à data.

Tomou a Sala São Paulo emprestada do governo paulista, convidou diversas autoridades eclesiásticas em ato ecumênico para "benzer" o jornalão da decadência e, cortejando o poder, convidou políticos, juízes, banqueiros e personalidades dos mais variados segmentos, desde o Juiz Fausto De Sanctis, passando pelos presidentes do Congresso e do Supremo Tribunal Federal, prefeito, governador, ministros, ex-presidentes da República, parlamentares, demo-tucanos com e sem mandato como FHC e Serra, e até a presidenta Dilma.

A presença da Presidenta gerou polêmica na blogosfera acostumada a combater o demo-tucanismo do jornalão do PIG (Partido da Imprensa Golpista).

A história é semelhante ao copo d'água pela metade. Os pessimistas dizem que o copo está meio vazio, e os otimistas dizem que o copo está meio cheio. Da mesma forma, os pessimistas vêem a Presidenta cedendo ao jornal, mas os otimistas tem confiança o suficiente para verem o contrário: o jornal se rendendo à Dilma, submetendo o curral eleitoral demo-tucano dos leitores do jornal, ao discurso dela.

Não que isso vá mudar a natureza dos donos do jornal e nem da grande maioria de seus assinantes, mas postura de estadista impõe respeito aos adversários e esvazia críticas sem fundamento e desarma o discurso golpista e lobista.

Com este gesto, Dilma respondeu à intolerância com a tolerância, combateu o preconceito ao não descriminar adversários preconceituosos; impôs a supremacia da razão e civilidade sobre o discurso do ódio. E desmentiu no próprio jornalão todo aquele noticiário da Folha que a demonizava como se fosse uma ameaça à democracia e a liberdade de expressão, entre as quais a liberdade de imprensa. Tomou essa bandeira perante os leitores do PIG, o que desarma as resistências lobistas contra um novo marco regulatório e democratização dos meios de comunicação.

O PIG precisará elevar o nível da discussão sobre liberdade de imprensa, para sair do jornalismo corrupto de lobismo empresarial por oligopólios, e submeter-se aos interesses republicanos da nação.

Além disso, se uma minoria dos leitores tiverem seus olhos abertos para verem que o discurso do ódio demo-tucano alimentado pelo PIG é tão falso como uma nota de 3 reais, já terá valido a pena.

É preciso lembrar que reacionários só se informam através do PIG, e mesmo os filhos mais novos destes, adeptos da internet, continuam se informando nos portais do PIG. Ao terem contato com uma imagem de Dilma que eles nunca quiseram enxergar, usando as flores da razão para vencer os canhões do PIG, os mais inteligentes e sensíveis acabam refletindo um pouco, passam a ler o PIG com olhar mais crítico, e acabam por buscar o contraditório quando a notícia vem embrulhada em plumagem tucana.

É preciso lembrar que, em São Paulo e Minas Gerais, o PIG ainda consegue ser influente. Nas últimas eleições em São Paulo, Alckmin não seria eleito governador no 1º turno, se poucos votos virassem. Por isso, mais importante do que sectarismos improdutivos, é conquistar terreno para abrir novos horizontes.

O golpe do voto distrital


Sempre que necessário a direita brasileira recorre a seus alfarrábios coloniais para vender seu peixe. Neste momento em que se começa a debater uma reforma política para aperfeiçoar nossa democracia, os conservadores recorrem a uma mistificação em torno das supostas virtudes do voto distrital e tenta nos vender o sistema eleitoral falido da Inglaterra - na expressão utilizada pelo Primeiro Ministro Gordon Brown, em 10 de maio de 2010 -; como a última panacéia democrática.

Um dos princípios básicos da democracia consiste em garantir que a cada eleitor corresponda um voto. Para as eleições legislativas o sistema que pode garantir o princípio a cada eleitor um voto é o sistema proporcional e este sistema é quem também pode garantir a pluralidade que se espera de qualquer legislativo que se respeite.

O sistema de voto majoritário é próprio para a escolha democrática de dirigentes do executivo (prefeitos, governadores e presidentes) e pode, sem prejuízo para a democracia, dispor de um segundo turno para dar maior legitimidade ao governante escolhido pelo povo, como ocorre no Brasil.

Mas todos sabem que não há nenhuma obra humana que não seja passível de adulteração. Aqui no Brasil, o voto proporcional que é um sistema virtuoso e garante pluralidade tem sofrido deformações que prejudicam seu bom funcionamento. A Emenda Constitucional nº 8, parte do Pacote de abril de 1977, iniciou uma grave distorção. A ditadura tentava evitar uma derrota anunciada para 1978. O parágrafo 2º do Artigo 39 daquela emenda estabelecia um piso mínimo de deputados por Estado: seis. E o teto de 55. O § 3º do mesmo Artigo 39 estabelecia que cada Território, com exceção de Fernando de Noronha, elegeria dois deputados.

Os constituintes de 1988 radicalizaram o processo de deformação do sistema proporcional, estabeleceram um piso de oito deputados por unidade da federação (Artigo 45, § 1º da atual Constituição). O argumento de que esta deformação decorre da necessidade da manutenção do equilíbrio federativa não procede. O equilíbrio federativo é dado pelo Senado, onde cada Estado está igualitariamente representado por três senadores. A ditadura e a constituinte causaram danos ao nosso sistema proporcional. Uma reforma política democrática requer uma revisão rigorosa do dispositivo constitucional acima citado.

Antes de falar do sistema majoritário aplicado a eleições legislativas, que é uma orgia perpétua muito comum no mundo anglo-saxônico, é bom lembrar os percalços do funcionamento da votação majoritária americana para a eleição do presidente da República.

Lá, o voto popular tem um filtro. Antes de ir diretamente para o candidato escolhido pelo eleitor, ele vai servir para eleger uma delegação a um colégio eleitoral que realmente elegerá o Presidente. Para um desavisado, pareceria óbvio que cada candidato a presidente teria um número de delegados proporcional ao número de votos populares que obteve. Quem teve 30% dos votos populares, levaria 30% dos delegados. Mas não é assim.

Estes resquícios de um federalismo obsoleto e de um paroquialismo distrital contaminam o sistema eleitoral americano e produzem deformações. Cito Jairo Nicolau (Sistemas Eleitorais): “Nos Estados Unidos, o presidente não é eleito diretamente, mas por um colégio eleitoral. Os delegados do Colégio Eleitoral são eleitos em cada estado por intermédio de um sistema de maioria simples na sua versão de voto em bloco partidário, ou seja, em cada estado, o candidato mais votado elege todos os representantes. O estado da Califórnia, por exemplo, tem 47 delegados no Colégio Eleitoral. O partido do candidato presidencial mais votado na Califórnia elege todos os delegados.
Essa é a razão da discrepância quando se compara o percentual de votos recebidos pelos candidatos nas eleições e no Colégio Eleitoral. No pleito de 1992, por exemplo, Bill Clinton obteve 43% dos votos nas eleições, mas recebeu o apoio de 69% dos membros do Colégio Eleitoral”.

Vale também mencionar as eleições presidenciais americanas de 2.000, quando Al Gore obteve mais votos populares do que George W. Bush, mas perdeu no Colégio Eleitoral numa disputa acirrada pelos votos da Florida decidida a favor de Bush por 500 votos e depois de muitas denúncias de fraude.

Esses dois exemplos mostram que a cultura distrital prejudica o bom funcionamento da democracia até nas eleições para cargos executivos. A aplicação deste sistema nas eleições legislativas tem se revelado ainda mais danosa.

A primeira vítima do sistema distrital é a pluralidade. Este sistema tende a privar de representação parlamentar as minorias, por mais expressivas que elas sejam; cria condições para que minorias sociais se transformem em maiorias parlamentares; tende a impor um bi-partidarismo que seguramente está longe de refletir a complexidade das sociedades modernas e elimina completamente a oportunidade de fazer com que a cada cidadão corresponda um voto, como deve ser nas democracias.

No sistema distrital, o voto é majoritário. Numa disputa entre dois candidatos de um determinado distrito, o candidato que conquistar um voto a mais que o adversário leva tudo. Aquele candidato que obtiver um voto a menos perde tudo. O voto majoritário, repita-se, é democrático para a escolha de candidatos a cargos executivos, prefeito, governador, presidente. Nestes casos, só existe uma vaga a ser preenchida, é normal que aquele que tenha conquistado um voto a mais seja declarado vencedor. Outra coisa é uma eleição para o legislativo, onde existem várias vagas. Aí o normal é que as cadeiras da assembléia sejam distribuídas proporcionalmente ao número de votos obtidos por cada partido.

Mas no sistema distrital não é assim. A votação de cada partido não expressa necessariamente o número de vagas que ele obterá no parlamento. Vejamos alguns exemplos. Tratando de eleições realizadas no Canadá em 1993, Jairo Nicolau (Sistemas Eleitorais – pg. 18) informa: “O Partido Conservador, que obteve 16,0% dos votos espalhados pelo território, elegeu apenas dois deputados, enquanto o Bloco de Quebec, com votação concentrada (13,5%), elegeu 54 deputados. O Partido da Nova Democracia, com apenas 6,9% dos votos, elegeu nove deputados”. Uma evidente deformação.

Discutindo as eleições de 1996 na Austrália, Jairo Nicolau (op. Citada. Pg. 26) registra: “Os Trabalhistas, que receberam 38,8% dos votos, ficaram com 33,1% das cadeiras, enquanto os Liberais, com 38,7% dos votos, obtiveram 51,3% da representação parlamentar.” É minoria social assumindo o papel de maioria parlamentar por artes de um sistema eleitoral caduco.

As últimas eleições realizadas no Reino Unido, 6 de maio de 2010, também produziram resultados extravagantes. O Partido Trabalhista obteve 29,0% dos votos e com esta votação conquistou 39,69% das cadeiras. Já o Partido Liberal Democrático obteve 23,1% dos votos para conquistar apenas 8,76%. É importante registrar que estes resultados incongruentes não são uma novidade.

Essa é uma situação que perdura desde as eleições de 1948, quando o voto distrital passou a ser o único sistema aplicado no Reino Unido.

O Partido Liberal Democrático foi prejudicado em todos os pleitos do pós-segunda guerra no Reino Unido. Ao longo deste período obteve em média 12,4% dos votos populares e apenas 1,9% das cadeiras do parlamento. Só agora, em 2010, quando ajudou os conservadores a formar um governo de coalizão, obteve a promessa de uma revisão do absurdo e obsoleto sistema eleitoral vigente na Grã-Bretanha. O primeiro ato desta reforma política vai acontecer em maio próximo quando a população vai ser consultada sobre a conveniência de uma reforma do sistema para introduzir nele elementos de proporcionalidade que podem finalmente introduzir a pluralidade no parlamento britânico.

Enquanto os britânicos em maio irão às urnas para conquistar a pluralidade, aqui precisamos estar atentos para defender e ampliar a nossa pluralidade das ameaças da parte da direita que tem dificuldade para conviver com a democracia e, por isso mesmo, está preparando o engodo do voto distrital ou de suas variações.

Ricardo Berzoini é deputado federal pelo PT-SP e ex-presidente nacional do PT
Athos Pereira é assessor político da Liderança do PT na Câmara

Marcha das Margaridas espera reunir 100 mil mulheres em Brasília

A 4ª Marcha das Margaridas pretende reunir cem mil mulheres em Brasília nos dias 16 e 17 de Agosto. O trabalho de mobilização já começou, informa a coordenadora geral da Marcha e secretária de Mulheres da Contag (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura) Carmen Foro. A coordenadora, que é filiada ao PT no Pará, disse ao programa TVPT Entrevista que a caravana das Margaridas deverá ser a maior mobilização social durante todo o ano de 2011.

Da mesma importância, segundo Carmen, é o fato de que a marcha encontrará no Palácio do Planalto, pela primeira vez, uma mulher presidenta. Com o lema “2011 razões para marchar por desenvolvimento sustentável com justiça, autonomia, igualdade e liberdade”, a diretora da Contag prevê o envolvimento de milhões de mulheres, se somadas as companheiras que participarão das etapas em cada Estado e em cada município.

O evento acontece a cada quatro anos, sempre no mês de agosto, para lembrar que em agosto de 1983 foi assassinada a líder sindical dos trabalhadores rurais de Alagoa Grande, Paraíba, dona Margarida Alves. A sindicalista promovia campanhas em defesa dos direitos trabalhistas, como carteira de trabalho assinada, 13º salário e férias. A primeira edição da Marcha foi em 2000. Em 2007, na terceira Marcha, cerca de 50 mil trabalhadoras rurais participaram, conseguindo visibilidade, reconhecimento social, acesso das mulheres à terra, assistência técnica, crédito, políticas sociais e direitos de cidadania. (Chico Daniel – Portal do PT)

TVPT - Clique no tocador abaixo e assista a entrevista completa de Carmen Foro.

Presidenta Dilma assegura que governo manterá investimentos no Nordeste


fevereiro 21st, 2011 | Autor: Jussara Seixas
Foto oficial do XII Fórum dos Governadores do Nordeste.

A partir da esquerda,
Teotônio Vilela, governador de Alagoas;
Wilson Martins, governador da Paraíba;
Cid Gomes, governador do Ceará;
Washington Luiz, vice-governador do Maranhão;
Marcelo Déda, governador de Sergipe;
presidenta Dilma Rousseff;
Jaques Wagner, governador da Bahia;
Eduardo Campos, governador de Pernambuco;
Ricardo Coutinho, governador da Paraíba;
Rosalba Ciarlini, governadora do Rio Grande do Norte; e
Antonio Anastasia, governador de Minas Gerais.
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.

O projeto de erradicação da pobreza, prioridade do governo federal, será efetivamente bem sucedido apenas se o Nordeste brasileiro for visto como estratégico e se as políticas públicas de investimento em infraestrutura, distribuição de renda, geração de emprego e inclusão social forem priorizadas para a região. A afirmação foi dada pela presidenta Dilma Rousseff, nesta segunda-feira (21/2), na abertura do XII Fórum dos Governadores do Nordeste, em Aracaju (SE), onde ela anunciou o projeto que define como “O novo Nordeste”.

“Avançar nas transformações, tanto garantido um crescimento acima do Produto Interno Bruto, aqui no Nordeste, quanto na distribuição de renda e no combate às desigualdades, é crucial para fazer o Brasil avançar, tanto no seu desenvolvimento quanto no que, para mim, é o projeto prioritário: a erradicação da miséria (…). Nós só conseguiremos diminuir a desigualdade regional se aqui [no Nordeste] nós sempre fizermos um pouco mais do que é feito no resto do Brasil, e é esse o grande desafio que nós temos”, afirmou.

Segundo a presidenta, tal projeto já começou a acontecer graças a parceria estabelecida com os governadores e prefeitos da região, “independente do partido ou convicção política”, e ganha força com os grandes investimentos para o crescimento regional sustentável, que não sofrerão cortes com a contenção orçamentária da União de R$ 50 bilhões, anunciada no início deste mês. Como exemplo, a presidenta citou o PAC 2; o Minha Casa, Minha Vida; o projeto Copa do Mundo e o Mobilidade Urbana, entre outros, que até 2014 somarão R$ 120,4 bilhões em investimentos na região.

“Os nossos cortes orçamentários dos R$ 50 bilhões preservaram o investimento. Temos perfeita consciência de que para que não haja no Brasil pressões inflacionárias – e nós não deixaremos que aconteça – é importante que a oferta de bens e serviços, sobretudo a taxa de investimento, cresça acima da demanda de bens e serviços. Daí porque nós mantivemos integralmente os investimentos”.

Para Dilma Rousseff, o crescimento contínuo do Nordeste também é indissociável da melhoria da qualidade de vida da população e do poder real de compra dos trabalhadores, assegurado pela proposta de correção do salário mínimo apresentada pelo governo federal, já aprovada pela Câmara dos Deputados e que irá para votação no Senado Federal na próxima quarta-feira (23/2). Segundo ela, tal política de valorização do salário mínimo é importante “porque garante o crescimento do salário mínimo de forma sistemática, sendo este horizonte o PIB de dois anos atrás e a inflação do ano corrente”.

Como um dos eixos estratégicos a presidenta defendeu o aumento do empreendedorismo e dos investimentos privados no Nordeste brasileiro. Nesse sentido, o governo enviará, ainda neste semestre, Projeto de Lei ao Congresso Nacional prorrogando até 2018 os incentivos fiscais do IRPJ aos investimentos produtivos naquela região. “Nosso objetivo é criar um ambiente de previsibilidade para investimentos em implementação ou em fase de negociação e reforçar compromisso de longo prazo com o estímulo ao investimento privado”, disse. A renúncia fiscal por meio deste instrumento corresponde, anualmente, aos recursos totais tomados pelos estados do Nordeste no Programa Emergencial de Financiamento (PEF) do BNDES.

“Não há uma solução para o Brasil sem uma solução para o Nordeste. Isso porque nós acreditamos que a grande alavanca para o nosso país nos últimos anos, que mudou completamente a forma pela qual o mundo nos enxerga, mas também a forma pela qual nós nos enxergamos, foi de fato perceber que esse país só seria grande, só seria um país desenvolvido, se fosse um país em que homens e mulheres tivessem acesso aos bens de uma economia desenvolvida, de uma economia sofisticada e de uma economia que tinha que aplicar todos os seus esforços em incluir milhões e milhões de brasileiros”, concluiu. Blog do Planalto

Dilma Rousseff reafirma seu compromisso com o Nordeste e a erradicação da miséria


Seg, 21 de Fevereiro de 2011 18:49

A presidenta Dilma Rousseff afirmou que os projetos de erradicação da pobreza, prioridade do governo federal, só serão bem sucedidos se o Nordeste brasileiro for visto do ponto de vista estratégico e se os investimentos e políticas públicas de distribuição de renda, geração de empregos e inclusão social forem priorizadas para a região.

A afirmação deu-se nesta segunda-feira (21), durante o XII Fórum de Governadores do Nordeste, em Barra dos Coqueiros, em Sergipe.

"Avançar nas transformações, tanto garantido um crescimento acima do Produto Interno Bruto, aqui no Nordeste, quanto na distribuição de renda e no combate às desigualdades, é crucial para fazer o Brasil avançar, tanto no seu desenvolvimento quanto no que, para mim, é o projeto prioritário: a erradicação da miséria", afirmou a presidenta.

Durante o discurso de abertura do evento, Dilma Rousseff também garantiu que os cortes no Orçamento da União anunciados pelo governo para este ano, calculados em R$ 50 bilhões, não irão atingir os investimentos em projetos para a região.

Entre os investimentos que não sofrerão cortes, Dilma citou o Programa Minha Casa, Minha Vida, o Programa Emergencial de Financiamento e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que inclui os projetos de mobilidade urbana e obras para a Copa do Mundo de 2014.

A presidenta também defendeu um foco maior das políticas públicas na região do semiárido. "Não há uma solução para o Brasil sem uma solução para o Nordeste e não há uma solução para o Nordeste sem uma solução para o semiárido", disse a presidenta.

Para o deputado Márcio Macedo (PT-SE), presente à solenidade, "a presidenta Dilma garantiu que os investimentos no Nordeste vão continuar, não por gratidão, por ela ter sido bem votada na região, mas por convicção, pois ela acredita que o país tem a responsabilidade de superar as suas diferenças regionais", destacou.

Héber Carvalho com Agências

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Artigo de Dilma escrito para a Folha, acaba sendo desconcertante para o jornalão


O jornal Folha de São Paulo comemora 90 anos de demo-tucanismo, e resolveu pedir à presidenta Dilma um artigo.

Dilma atendeu com cordialidade, mas o artigo é escrito com uma inteligência ferina que, ainda que não tenha sido intencional, tem trechos desconcertantes para os donos e colunistas demo-tucanos do jornal.

O artigo fala sobre o Brasil do passado, do presente e do futuro, com foco na sociedade do conhecimento e do respeito ao meio-ambiente. Não menciona o jornalão da ditabranda (nem elogia, nem critica diretamente), mas, de forma elegante, tem trechos que caem como uma luva sobre a atuação da Folha nos 90 anos de existência, como jornal da "elite pensante" do Brasil demo-tucano arcaico, injusto, excludente e da ditabranda.

De quebra fala sobre democratização do conhecimento (o que pressupõe democratização dos meios de comunicação), e que o grande "formador do cidadão" é o educador (que ensina o cidadão a formar opinião por si mesmo, e não os colunistas do PIG).

Segue a íntegra do artigo da nossa Presidenta (com os destaques em negrito nossos):



País do conhecimento, potência ambiental
por DILMA ROUSSEFF


Hoje, já não parece uma meta tão distante o Brasil se tornar país economicamente rico e socialmente justo, mas há grandes desafios pela frente, como educação de qualidade
Há 90 anos, o Brasil era um país oligárquico, em que a questão social não tinha qualquer relevância aos olhos do poder público, que a tratava como questão de polícia.

O país vivia à sombra da herança histórica da escravidão, do preconceito contra a mulher e da exclusão social, o que limitou, por muitas décadas, seu pleno desenvolvimento.

Mesmo quando os grandes planos de desenvolvimento foram desenhados, a questão social continuou como apêndice e a educação não conquistou lugar estratégico. Avançamos apenas nas décadas recentes, quando a sociedade decidiu firmar o social como prioridade.

Contudo, o Brasil ainda é um país contraditório. Persistem graves disparidades regionais e de renda. Setores pouco desenvolvidos coexistem com atividades econômicas caracterizadas por enorme sofisticação tecnológica. Mas os ganhos econômicos e sociais dos últimos anos estão permitindo uma renovada confiança no futuro.

Enorme janela de oportunidade se abre para o Brasil. Já não parece uma meta tão distante tornar-se um país economicamente rico e socialmente justo. Mas existem ainda gigantescos desafios pela frente. E o principal, na sociedade moderna, é o desafio da educação de qualidade, da democratização do conhecimento e do desenvolvimento com respeito ao meio ambiente.

Ao longo do século 21, todas as formas de distribuição do conhecimento serão ainda mais complexas e rápidas do que hoje.

Como a tecnologia irá modificar o espaço físico das escolas? Quais serão as ferramentas à disposição dos estudantes? Como será a relação professor-aluno? São questões sem respostas claras.

Tenho certeza, no entanto, de que a figura-chave será a do educador, o formador do cidadão da era do conhecimento.

Priorizar a educação implica consolidar valores universais de democracia, de liberdade e de tolerância, garantindo oportunidade para todos. Trata-se de uma construção social, de um pacto pelo futuro, em que o conhecimento é e será o fator decisivo.

Existe uma relação direta entre a capacidade de uma sociedade processar informações complexas e sua capacidade de produzir inovação e gerar riqueza, qualificando sua relação com as demais nações.

No presente e no futuro, a geração de riqueza não poderá ser pautada pela visão de curto prazo e pelo consumo desenfreado dos recursos naturais. O uso inteligente da água e das terras agriculturáveis, o respeito ao meio ambiente e o investimento em fontes de energia renováveis devem ser condições intrínsecas do nosso crescimento econômico. O desenvolvimento sustentável será um diferencial na relação do Brasil com o mundo.

Noventa anos atrás, erramos como governantes e falhamos como nação.

Estamos fazendo as escolhas certas: o Brasil combina a redução efetiva das desigualdades sociais com sua inserção como uma potência ambiental, econômica e cultural. Um país capaz de escolher seu rumo e de construir seu futuro com o esforço e o talento de todos os seus cidadãos.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Homenageado, Ronaldo ganha placas e continua sendo "louco do bando"


Ronaldo exibe placa recebida do Corinthians durante homenagem no Pacaembu

20 de fevereiro de 2011 • às 16h43 Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

Oficialmente aposentado do futebol desde a última segunda-feira, Ronaldo foi a estrela antes do clássico entre Corinthians e Santos, neste domingo, no Pacaembu. O agora ex-atacante acompanhou a delegação corintiana até o estádio e recebeu várias homenagens, incluindo duas placas de agradecimento e muitos gritos da torcida.

O ex-jogador subiu ao gramado por volta das 15h30 acompanhado dos filhos Ronald e Alex, os três vestindo camisas do Corinthians. Ronaldo deu uma volta no campo acenando para os torcedores que gritavam seu nome e recebeu uma placa da principal torcida organizada do clube, agradecendo pelos serviços prestados.

Depois, o presidente Andrés Sanchez apareceu para presentear Ronaldo com outra placa, que exaltava o ex-atleta como "mais um louco do bando".

O ídolo, então, pediu a palavra. "Quero agradecer por cada minuto em que eu estive aqui nesse gramado, cada instante, cada aplauso, cada grito de cada um de vocês que me apoiaram neste tempo que eu estive aqui no Corinthians. Quero agradecer do fundo do meu coração essa experiência única que eu tive na minha vida de conhecer o Corinthians e sua torcida. Continuarei sendo um louco do bando", afirmou.

Além disso, todos os titulares do Corinthians entraram em campo com camisas que contêm o número 9, consagrado por Ronaldo em sua carreira. O goleiro Júlio César jogará com a 19; na defesa, Alessandro será o 29, Wallace o 39, Leandro Castán o 49 e Fábio Santos o 69; os volantes Ralf e Paulinho usarão os números 59 e 89, respectivamente; já o quarteto ofensivo terá Morais (91), Dentinho (92), Jorge Henrique (79) e Liedson (90).

Nas arquibancadas, também não faltaram homenagens. Uma gigantesca faixa com a inscrição "Para sempre Fenômeno, R9 eternamente em nossos corações" foi dependurada pela torcida corintiana, que gritou o nome do craque em coro antes do apito inicial. Um bandeirão com o rosto do ex-melhor do mundo também esteve presente.

A passagem de Ronaldo pelo time do Parque São Jorge teve altos e baixos. Mesmo sem jogar todas as partidas, ele foi decisivo nas conquistas do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil de 2009, quando chegou a ter sua convocação pedida para a Seleção Brasileira. Em 2010, não conseguiu levar o time ao sonhado título da Copa Libertadores e jogou pouco no Brasileiro, mas contribuiu com gols importantes.

Já neste ano, após a eliminação na Pré-Libertadores para o colombiano Tolima, chegou a ser hostilizado por parte da torcida - porém, com a aposentadoria anunciada, sua condição de ídolo absoluto voltou com força total.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Juara - TCE mantém reprovadas contas do prefeito


O Tribunal de Contas decidiu não aatcar recurso ordinário interposto pelo prefeito José Alcir Paulino de Juara, contra decisão no processo referente às contas anuais do ano de 2009, julgadas ano passado, que haviam sido julgadas irregulares, com determinações ao gestor de sanar as pendências apontadas.

O relator do recurso foi o conselheiro José Carlos Novelli. Na apreciação da peça recursal, Novelli constatou que as irregularidades permanecem. Com isso, o recurso não foi aceito.

Na decisão que julgou as contas irregulares, Novelli observou "que a retenção da contribuição patronal para o RGPS se deu no valor de R$ 1,104 milhão sendo o valor efetivamente recolhido de R$ 496,7 mil, gerando um déficit na arrecadação previdenciária no valor de R$ 608 mil. O mesmo ocorreu com a contribuição patronal para o RPPS. O recorrente alegou dificuldades financeiras no Município já em 2008, quando a mesma irregularidade estava presente, todavia, ao longo de 2009 incorreu novamente nas mesmas práticas", decidiu. Foi mantida multa de 100 UPF (Unidades de Padrão Fiscal) para o prefeito.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Programa de banda larga fica com teles


quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011
O governo cedeu e aceitou retirar uma das metas de universalização da telefonia caso as concessionárias se comprometam a vender pacotes de internet a R$ 29,90 e R$ 35 em todo o país dentro do PNBL (Programa Nacional de Banda Larga).

A Folha apurou que a Telefônica e a Oi fizeram propostas semelhantes: trocar a meta pelo compromisso de vender pacotes de internet de 600 Kbps (Kilobits por segundo) de velocidade com mensalidade de R$ 35 em toda sua área de concessão.

Haveria a opção de pacotes a R$ 29 com isenção de ICMS pelos Estados.

A Sercomtel propôs R$ 29,90. CTBC e Embratel ainda estudam suas ofertas, mas devem seguir as demais, cumprindo o preço limite definido pelo PNBL.

O plano prevê a cobertura de 68% dos domicílios com internet até 2014. O pacote básico seria de R$ 15 por uma velocidade de conexão de até 512 Kbps.

Outro, com velocidade de 512 Kbps a 784 Kbps, custaria até R$ 35, segundo o PNBL.

Para assinar um termo de compromisso com o governo, as teles esperam a definição de contrapartida para a instalação de telefones na zona rural do país operação que seria deficitária, exigindo compensações públicas de até R$ 2 bilhões.

O governo estuda a possibilidade de que as operadoras possam usar 2% de seu faturamento líquido para "subsidiar" o cumprimento dessa meta prevista no novo Plano Geral de Universalização. Hoje, esse recurso pago pelas teles fica no Tesouro.

O acordo, que deve avançar, livra as teles de investimentos em novas centrais ("backhaul") que seriam instaladas em cerca de 2.000 municípios para dar suporte à telefonia fixa e de estabelecer conexões de internet.

No final de 2010, as operadoras entraram na Justiça contra essa meta, que acarretaria custos de pelo menos R$ 1,5 bilhão, a serem arcados com recursos próprios.

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, aceitou negociar desde que a ação da Justiça fosse retirada e as teles fizessem uma proposta "generosa".

ATACADO
Agora, além dos pacotes residenciais, as concessionárias também preparam novas ofertas para o atacado, provedores de internet que alugam delas a infraestrutura (links ou conexões de internet em larga escala).

O governo ainda pressiona por preços menores para links que variam de 600 Kbps a 2 Mbps (megabits por segundo).

E A TELEBRÁS?
Reativada com o objetivo de ser a principal gestora do PNBL, ainda no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a Telebrás não atenderá mais a consumidores residenciais.

Seu papel, diante das novas negociações, será priorizar o mercado atacadista, principalmente provedores de internet, para garantir a oferta com preços considerados razoáveis pelo governo.

Mesmo tendo a Telebrás como competidora nesse segmento, as concessionárias não ficarão livres de fazer ofertas nesse segmento e prometem ser mais competitivas que a Telebrás.

Elas já preparam ofertas específicas para pequenos provedores.

Folha Online

LULA Presidente de Honra do PT

PMDB é 100% Dilma, PT não

No primeiro grande teste do governo Dilma o PMDB foi aprovado com louvor e o PT, ah o PT, reprovado como sempre. Os 77 deputados do PMDB votaram a favor da proposta do governo e dois imbecis do PT votaram contra. Zés Ruelas que encheram sua publicidade de fotos com o presidente Lula chegaram ao congresso e votaram logo na primeira chance contra o governo. Eudes Xavier (CE) e Francisco Praciano (AM) são os futuros vereadores do PSOL (ou do PPS) eleitos deputados federais pelo PT.

Base aliada unida aprova mínimo de R$ 545 e continuidade da valorização salarial


Qua, 16 de Fevereiro de 2011 23:52

O plenário da Câmara aprovou na noite desta quarta-feira (16), com apoio de ampla maioria da bancada do PT e da base aliada, o parecer favorável do relator, deputado Vicentinho (PT-SP), ao projeto de lei (PL 382/11), do Executivo, que fixa em R$ 545 o salário mínimo para 2011.


Para o relator, a aprovação da proposta "representa a continuidade da política bem-sucedida de valorização do salário mínimo iniciada no governo Lula e que prossegue no governo da presidenta Dilma". Além disso, acrescentou Vicentinho, é uma vitória do movimento sindical. "O valor de R$ 545 respeita o acordo firmado com as centrais sindicais para o período entre 2008 e 2011, de valorização do mínimo a partir da inflação do ano anterior mais o crescimento do PIB de dois anos anteriores. O governo cumpriu o acordo", disse Vicentinho.

O líder do PT, deputado Paulo Teixeira (SP), afirmou que a base do governo sai fortalecida com a aprovação da proposta. "A unidade da bancada petista e da base aliada foi fundamental para aprovarmos o mínimo de R$ 545". De acordo com ele, "neste teste de governabilidade", a presidenta da República pode ficar tranquila. "Dilma Rousseff tem base coesa, que enfrentou o debate político, não cedeu", frisou o líder do PT.

Para o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), essa é também uma vitória do País. "Temos uma política consistente de recuperação do salário mínimo em vigor há oito anos. O Brasil ganha com essa votação e a Câmara se engrandece", disse.

Texto - O texto aprovado estabelece diretrizes para a política de valorização do mínimo entre 2012 e 2015. Pelo projeto, a correção será feita pela soma do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes com a inflação do ano imediatamente anterior. Com isso, acrescentou o relator, deputado Vicentinho "daqui a 10 meses o valor do salário mínimo poderá chegar a R$ 616. Isso é a afirmação de uma política e a certeza de sua aplicação com regras bem definidas pela primeira vez na história do país".

Os reajustes do salário mínimo, segundo o texto, serão estabelecidos pelo Executivo, por meio de decreto, o qual divulgará a cada ano os valores mensal, diário e horário do salário mínimo, correspondendo o valor diário a um trinta avos e o valor horário a um duzentos e vinte avos do valor normal.

Até 31 de dezembro de 2015, pelo texto aprovado, o Poder Executivo deverá encaminhar ao Congresso Nacional projeto de lei dispondo sobre a política de valorização do salário mínimo para o período de 2016 a 2019 e a meta, de acordo com o relator, deputado Vicentinho, "é chegar a 2023".

Gizele Benitz

Estou preparado para presidir a CCJ e confio em julgamento do STF, diz João Paulo


O deputado João Paulo Cunha (PT-SP) divulgou nota na noite desta quarta-feira (16) afirmando que será uma honra presidir a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. Seu nome para o cargo foi anunciado hoje, pela bancada do PT.

O deputado destacou sua experiência de ter presidido a Câmara no biênio 2003-2004 e afirmou estar preparado para exercer "com zelo e eficiência esta importante responsabilidade no parlamento".

O deputado acrescentou que seu mandato à frente da CCJ estará a serviço do desenvolvimento nacional e da melhoria da qualidade de vida dos brasileiros. "Afirmando a autonomia e as prerrogativas do legislativo e em permanente cooperação com os poderes executivo e judiciário.

Quanto ao fato de estar respondendo a processo no Supremo Tribunal Federal (STF), pelo episódio conhecido como mensalão, João Paulo diz estar sereno. "Tenho convicção de minha inocência frente às denúncias infundadas e espero a minha absolvição quando do julgamento do mérito no plenário do tribunal".

Minha participação no referido episódio, diz João Paulo, em nota, "já foi suficientemente esclarecida. Meu nome não é citado como responsável por qualquer ilícito nos relatórios finais das CPIs que trataram dos fatos agora em julgamento no STF . Nada foi provado contra mim nas investigações a que fui submetido na Polícia Federal ou no Ministério Público".

"Provei minha inocência e fui absolvido pelo plenário da Câmara dos Deputados. Submeti-me ao julgamento popular e nas duas últimas eleições e fui reeleito. Estou apto para disputar e exercer qualquer cargo público. Tenho as mãos limpas e meus mandatos prezam pela conduta ética", afirma o petista.
Ele encerra a nota convidando os que querem se informar sobre o processo e sua defesa, a acessar o site do seu mandato www.joaopaulo.org.br.

Vânia Rodrigues

67% dos moradores de Sinop já aprovam governo da petista Dilma


Andréa Haddad

Há um mês e meio no comando do país, a presidente Dilma Rousseff (PT) tem a aprovação dos eleitores sinopenses. Levantamento realizado pelo instituto Mark, realizado em parceria com o RDNews, revela que 67,6% dos moradores avaliam positivamente a gestão da petista, que assumiu a presidência em 1º de janeiro. A pesquisa foi feita com 303 pessoas nos últimos dias 13 e 14. A margem é de 3% para mais ou para menos.

Dos entrevistados, 33,3% avaliam que Dilma faz um ótimo governo, enquanto 48,8% julgam que a administração dela é boa e outros 15,5% entendem que a gestão da petista é regular positivo.

Apenas 5,4% dos entrevistados reprovam a gestão Dilma Rousseff. Desse universo, 2% disseram que o governo é regular negativo. Para 0,7% a gestão da petista é ruim. Nenhum dos entrevistados respondeu que o governo do PT é péssimo. Não souberam responder 29,7% dos entrevistados.

Dilma venceu a eleição a presidente no segundo turno, contra o tucano José Serra. Em Mato Grosso, ela teve menos votos (659.771). Serra ficou com 678.614 votos. Em Sinop, cidade administrada pelo prefeito Juarez Costa (PMDB), Serra também bateu Dilma (30.458 votos a 19.599).

A pesquisa foi realizada somente na zona urbana. Dos entrevistados, 51,5% são do sexo masculino e, 48,5%, do feminino.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Católicos podem confessar seus pecados através do iPhone ou iPad


Católicos não podem mais reclamar que não têm tempo para confessar seus pecados na igreja. Como parte de uma campanha de abertura a novas tecnologias, a Igreja Católica aprovou um novo aplicativo de iPhone que permite aos fiéis conectados confessarem os pecados.

O aplicativo chamado "Confession: A Roman Catholic App" é vendido por US$ 1,99 na iTunes Store. Segundo a empresa Little iApps, responsável pelo desenvolvimento, a ideia do aplicativo é que os arrependidos ocupados possam continuar em contato com o sacramento e para que as pessoas que estão mais desligadas retornarem a praticá-lo. A empresa insiste que o programa não substitui o padre.

O aplicativo permite que o fiel mantenha uma lista com os pecados cometidos desde a última vez que confessou, sinalizando os mais comuns. Ele fornece uma lista de possibilidades de pecados – e permite atualização com outros tipos – e ainda oferece sete atos de contrição, meios de reparar seus erros. O app ganhou o selo oficial de aprovação da Igreja pelo Bispo Kevin Rhoades, do Estado norte-americano de Indiana.

Apesar de ser o primeiro aprovado pelos católicos, existem muitos aplicativos não oficiais disponíveis para fiéis. Na loja brasileira de aplicativos da Apple existem muitos programas com fundo religioso. Entre os vários apps, "Confissão" é um guia para o sacramento gratuito; "Santo Expedito", "Santo Antônio" e "São Jorge", contam com a oração e história dos respectivos por US$ 0,99 e o "Mapa Católico" traça uma rota de paróquias com a ajuda dos usuários.

Depois de seu canal no YouTube em 2009, a Igreja Católica aprova o aplicativo em mais um esforço para marcar presença no mundo digital e reconquistar fiéis afastados. As ações vão de acordo com o discurso do Papa no início do ano, dizendo para que católicos fizessem bom uso de sua presença no mundo digital./Galileo

Discos voadores, ETS, extraterrestres, ovinis? "O que os evangélicos pensam a respeito?"


O professor Dr. Werner Gitt, diretor do "Instituto Nacional de Tecnologia Física" na Alemanha, escreveu o seguinte acerca do assunto:

Estamos sozinhos, ou existe vida em outros lugares do Universo? Os relatórios acerca de discos voadores e de encontros com extraterrestres, que há décadas já produziam inúmeras especulações, e que nos últimos tempos aumentaram em número, receberam combustível de uma ala séria: no início de agosto de 1996, pesquisadores da NASA anunciaram ter descoberto formas rudimentares de vida em um meteorito que supostamente procedia de Marte. Estas ligas orgânicas também poderiam ser bolinhas de lama petrificada, ressaltam. Uma prova de "vida", na verdade, não existia! Mas de qualquer forma a pedra de quase dois quilos, achada na Antártida, reaqueceu a febre marciana mundial: nos próximos anos, americanos, europeus, japoneses e russos planejam cerca de 20 projetos e pretendem enviar sondas até o planeta vizinho Marte, distante 78 milhões de quilômetros.
De modo geral, percebe-se que a crença em inteligência extraterrestre, que já tinha características quase religiosas, alcança uma nova dimensão.

A Onda dos OVNIs vai Aumentando
Se bem que após algum tempo as especulações sobre a "pedra de Marte" mostraram não ter fundamento, o entusiasmo pela busca de vida extraterrena prossegue. Existem diversas causas para o enorme "boom" dos relatos de aparições de OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados). O professor de psiquiatria da Universidade de Harvard, John E. Mack, chamou a atenção do mundo inteiro com sua coletânea de casos intitulada "Raptado por Extraterrestres". Há algum tempo, o cineasta britânico Ray Stilli trouxe a público um filme supostamente rodado em 1947 e mantido em sigilo desde então, mostrando a autópsia de um suposto extraterrestre. Ele teria caído com seu disco voador no Novo México em 1947, próximo à base aérea de Roswell. Na Brasil, o "Fantástico" mostrou partes do filme. Em outubro de 1995, no Congresso Mundial de OVNIs, em Düsseldorf (Alemanha), as imagens pouco nítidas foram uma das principais atrações. (...) Segundo uma pesquisa de opinião efetuada pelo Instituto Allensbach, na Alemanha 17% da população crê que existam OVNIs, 40% contam com vida em outros planetas e 31% crêem que estes seres sejam inteligentes.
Como os cristãos deveriam classificar os OVNIs? Que significado tem a existência de extraterrestres no espaço?

I. O que a ciência diz a respeito?

Nunca houve um contato com "extraterrestres"
No ano de 1900, a Academia Francesa de Ciências anunciou um prêmio de 100.000 Francos para quem fosse o primeiro a estabelecer contato com um mundo desconhecido. Marte foi excluído, pois naquela época havia certeza da existência de moradores no planeta vizinho. Mas nesse meio tempo sabe-se com certeza: nem nesse nem em outro planeta existe qualquer sinal de "pequenos homenzinhos verdes" ou de qualquer outro ser inteligente.

Mesmo que até agora não exista a menor prova científica da existência de vida extraterrena, muitos astrônomos – sob o impacto da quantidade enorme de estrelas – acham que a vida, como ela é concebida na terra, também teria de haver surgido em outros lugares. Os cientistas americanos do SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence = Busca de Inteligência Extraterrestre) fizeram diversas tentativas para captar sinais do espaço. Tudo foi em vão – eles também não encontraram nenhuma prova de vida extraterrestre.

Vida no espaço só seria possível se...
Vida no espaço só seria possível em um planeta cuja superfície suprisse diversas condições. Ele deve ter a distância certa de seu sol para ser aquecido corretamente. Até aqui os astrônomos só acharam uma indicação de possível vida em um planeta em outro sistema solar. Ele orbita em torno da estrela Pégaso de nossa Via Láctea, distante 45 anos-luz de nós. Mas como ela está 20 vezes mais próxima de seu sol do que a terra, a vida lá seria impossível devido ao calor. Ainda é possível que existam planetas não descobertos entre os incontáveis sóis (um número formado por 1 mais 25 zeros). Mas é, no mínimo, improvável que eles atendam as condições que possibilitem a existência de vida. A simples existência de água ou gelo não é evidência clara da eventual existência de outras formas de vida, como foi publicado em muitos jornais, quando se dizia que na lua de Júpiter, chamada "Europa", eventualmente teria sido descoberto gelo.

Distâncias intransponíveis até outros planetas
Mesmo aceitando-se que exista vida em algum lugar do espaço, uma visita de extraterrestres à Terra, como as sugeridas pelos relatos de OVNIs, seria impossível na prática. O principal impecilho são as distâncias inimaginavelmente grandes e, com isso, o longo tempo de viagem que se faz necessário. Já a estrela mais próxima da terra, chamada Proxima Centauri, fica a uma distância de 4,3 anos-luz, ou seja, 40.680.000.000.000 quilômetros (40,7 trilhões). Os vôos do projeto Apolo levaram três dias para irem até a Lua, que fica a 384.000 quilômetros de distância. Com a mesma velocidade, seriam necessários 870.000 anos para se chegar a essa estrela vizinha.
Sondas espaciais não-tripuladas poderiam obviamente ser mais rápidas. Se existisse alguma força de impulsão que alcançasse um décimo da velocidade da luz, mesmo assim a viagem levaria 43 anos. Segundo os cálculos aproximados do físico nuclear sueco C.Miliekowsky, seriam necessárias quantidades enormes de energia para a propulsão. Elas equivaleriam à quantidade de energia elétrica consumida atualmente pelo mundo inteiro em um mês. Além disso, as pequenas partículas de poeira que flutuam no espaço representam um problema para as sondas espaciais, pois colidiriam com elas. Átomos de hidrogênio (100.000 por metro cúbico) são os mais freqüentes. E partículas de poeira de silicatos e gelo com 0,1 grama de peso (100.000 por quilômetro cúbico) já poderiam destruir o aparelho. Tudo isso torna uma viagem de eventuais extraterrestres até nós ou de nós até eles praticamente impossível.

II. A Bíblia

Em lugar nenhum a Bíblia fala de extraterrestres
Para os cristãos, a Bíblia é a Palavra de Deus revelada. A Bíblia ensina que a vida só é possível através de um ato criador. Mesmo que no espaço existam planetas semelhantes à Terra, lá não existiria vida se o Criador não a tivesse criado. E se Deus o tivesse feito, e essas criaturas nos visitassem algum dia, então Deus não teria nos deixado ignorantes a respeito. Podemos deduzir isso de Isaías 34.16: "Buscai no livro do Senhor, e lede; nenhuma destas criaturas [de Deus] falhará, nem uma nem outra faltará". Além disso, Deus nos informou acerca de detalhes muito exatos do futuro (por exemplo, acerca da volta de Jesus, detalhes acerca do fim deste mundo, como em Mateus 24 ou no livro de Apocalipse). Um dia o Universo será enrolado como um pergaminho envelhecido (Is 34.4; Ap 6.14). Com isso, se Deus tivesse criado seres viventes em outro lugar, Ele automaticamente destruiria a morada deles.

A finalidade das estrelas
Um outro raciocínio que leva à mesma conclusão: se conhecemos a finalidade das estrelas, temos em mãos a chave bíblica para respondermos as questãos concernentes aos assim chamados"extraterrestres". O "para quê" das estrelas é mencionado em diversas passagens bíblicas. O conhecido Salmo 19 trata do assunto, mas queremos salientar aqui o relato da criação. Gênesis 1.14-15 diz:

"Disse também Deus: Haja luzeiros no firmamento dos céus, para fazerem separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais, para estações, para dias e anos. E sejam para luzeiros no firmamento dos céus, para alumiar a terra. E assim se fez." Gênesis 1.14-15

As razões de sua existência são muito claras: devem luzir na terra, mostrar o tempo e ser portadoras de sinais. As estrelas são, portanto, orientadas e planejadas para a terra, ou, para ser mais exato, para as pessoas que vivem na terra. Diante desta distribuição de finalidades quando de sua criação, diante da seqüência da criação (no primeiro dia a terra e só no quarto dia os outros planetas) bem como do testemunho bíblico como um todo, pode-se chegar a uma única conclusão: não se pode contar com vida em outros planetas!


III. E os OVNIs?
Após a constatação feita acima, como devemos nos posicionar diante dos fenômenos de discos voadores e diante da euforia e da crença em seres extraterrestres? Li na revista alemã "Focus": "90% das notícias de OVNIs são consideradas disparates, mas um resto de dez por cento é suficiente para o surgimento de muitas especulações." E o sociólogo Gerald Eberlein chega à conclusão: "Pesquisas revelaram que pessoas que não têm vínculos com igrejas mas afirmam ser religiosas, reagem de maneira especialmente forte à possível vida de extraterrestres. Para elas, a ufologia é uma espécie de religião substituta." A Bíblia expressa a mesma constatação num ponto de vista ainda mais profundo, quando menciona causa e conseqüência:

"Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais e prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos. É por este motivo, pois, que Deus lhes manda a operação do erro, para darem crédito à mentira" (2 Ts 2.9-11).


A Bíblia o diz
Um pensamento complementar para elucidar o fenômeno dos discos voadores: a Bíblia dá uma descrição de todos os seres viventes. O Deus vivo se apresenta a nós como o Deus triúno no Pai, no Filho e no Espírito Santo. No céu existem os anjos, que também servem às pessoas sobre a terra. Eles trazem uma boa mensagem e dão a reconhecer quem os enviou (por ex., Lucas 2.6-16). Suas afirmações são precisas e verificáveis.

Uma mensagem diferente é a do diabo e dos demônios. Efésios 2.2 chama-o de "príncipe da potestade do ar". Seu raio de ação é sobre a terra. O diabo tem seu próprio repertório para seduzir este mundo, sob a forma de variadas práticas ocultas e de milhares de ritos religiosos. Será que não poderia ser que, por trás de todos os fenômenos não identificáveis se encontrassem as obras do enganador? Como os relatos de OVNIs mostram, tudo é muito nebuloso e não identificável. Pessoas que não conhecem a Cristo se deixam fascinar com facilidade por tudo quanto é fenômeno abstrato. Aos cristãos vale o aviso: "Vede que ninguém vos engane!" (Mt 24.4).

Resultado do Concurso Público da Prefeitura de Juína (Clik aqui e confira!)

http://www.exataplanejamento.com.br/arquivos/anexos/1d5af298ebbc3fcd045f3611cb52c4e8.pdf

JUARA: Polícia indicia 56 pessoas por crime ambiental em MT


Inquérito apurou fraudes em crédito para manejo florestal da Sema em Juara

DA REDAÇÃO

A Polícia Civil indiciou, por meio da Delegacia Especializada do Meio Ambiente, 56 pessoas, entre físicas e jurídicas, por crimes de falsidade ideológica, transporte ilegal de madeiras e crime contra a administração ambiental.

O inquérito policial foi aberto em 2006, para apurar fraudes na constituição de créditos para manejo florestal de uma área de 11.086.413 metros cúbicos de madeira em pé, pertencente a uma fazenda do município de Juara (709 km a Médio-Norte de Cuiabá). Os 20 volumes dos autos foram encaminhados ao Ministério Público do Meio Ambiente para oferecimento de denúncia, terça-feira (15).

As investigações concluíram que 45 pessoas físicas estavam envolvidas na venda e compra de créditos destinados a exploração florestal da área. Estes foram repassados a 11 empresa madeireiras com a finalidade de “esquentar” madeiras extraídas de áreas de preservação ambiental, reservas ou assentamentos.

Os créditos foram obtidos junto a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), depois da aprovação do projeto de manejo florestal de mais de 11 mil metros cúbicos da Fazenda Cruzeiro do Sul, em Juara, equivalente 500 campos de futebol.

Os indiciados Vitor Airton Gimenes e Fernando Luiz Limberger, juntamente com o engenheiro florestal Amilcar José da Costa, responsável pela elaboração do projeto de manejo, conseguiram aprovação do projeto na Sema e venderam os créditos para Jary Santana de Abreu, que os revendeu para dez madeireiras da região de Juara e uma de Tangará da Serra.

Vitor e Fernando firmaram contrato de parceria com o do dono da Fazenda Cruzeiro do Sul e omitiram dele que o projeto havia sido aprovado. Quando a vítima descobriu, os créditos liberados para exploração da área já tinham sido vendidos a Jary Santana, que se diz consultor ambiental, por R$ 385 mil.

Papel

Os créditos, na verdade, apenas papéis, foram então revendidos às madeireiras que precisavam “legalizar” o transporte de madeiras ilícitas.

“Venderam tão somente créditos [papéis] de produtos florestais para diversas empresas madeireiras da região de Juara. Não houve qualquer exploração da área do imóvel rural da Fazenda Cruzeiro do Sul”, disse o delegado-adjunto da Dema, João Henrique Brito Santos.

Conforme o delegado, diligências na região e vistorias na fazenda constataram que área do projeto de manejo não foi explorada, permanecendo intacta.

De acordo com João Henrique, a Secretaria de Meio Ambiente, tomou providências administrativas como a suspensão dos créditos no sistema de Cadastro de Consumidores de Produtos Florestais (CC-Sema) e cancelamento das declarações de venda de produto florestal (DVPF) - documento que autoriza o transporte de madeiras - e ainda abriu procedimento administrativo para apurar a utilização indevida dos créditos florestais.

"As madeireiras após aquisição dos falsos créditos florestais, por meio dos DVPFs, passaram a utilizá-los no comércio clandestino de produtos florestais extraídos ilegalmente da floresta mato-grossense”, ressalta trecho do relatório final do delegado Santos.

Os indiciados são proprietários e representantes de madeireiras e um engenheiro florestal. Não há servidores do Estado envolvidos no desvio de créditos.

Com informações da PJC/MT

Senador defende mudanças na eleição proporcional em reforma


Andréa Haddad
O senador mato-grossense Pedro Taques (PDT) vai participar, a partir da próxima semana, das discussões da comissão encarregada de elaborar o projeto de reforma política do país. Após uma reunião entre os integrantes do grupo, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB), anunciou que a comissão será instalada na próxima terça (22).

Segundo Sarney, o resultado dos trabalhos devem ser anunciados em 45 dias. Ao ser reeleito presidente da Casa, em 1º de fevereiro, ele avisou que, se a reforma política não for realizada neste ano, dificilmente sairá depois.

Durante as discussões, Taques vai defender o fim do sistema de eleição proporcional para deputados federais, estaduais e vereadores. Segundo ele, há “distorções” quando candidatos desconhecidos dos eleitores saem vitoriosos das urnas com a ajuda dos chamados “puxadores de votos”, que obtém expressiva votação e permite eleger com eles outros que receberam poucos votos.

Outra proposta do pedetista prevê que os municípios recebam mais recursos para não ficar dependentes das emendas parlamentares individuais. O deputado acredita que a medida será possível para evitar escândalos envolvendo parlamentares. “Os municípios recebem pouco e é preciso emendas parlamentares individuais para suprir outras necessidades. E aí estão os grandes escândalos da Nação, como sanguessuga e mensalão. Não estou fazendo juízo de valor a respeito da existência desses fatos, mas juízo de fato”, afirma Taques.

O ato assinado por Sarney define como incumbência da comissão analisar as matérias sobre o tema em tramitação no Congresso, realizar audiências públicas com especialistas na área, elaborar o relatório final e apresentar o anteprojeto sobre a matéria.

Fazem parte da Comissão da Reforma Política os seguintes senadores: Itamar Franco (PPS-MG), Fernando Collor (PTB-AL), Aécio Neves (PSDB-MG), Demóstenes Torres (DEM-GO), Roberto Requião (PMDB-PR), Luiz Henrique (PMDB-SC), Wellington Dias (PT-PI), Jorge Viana (PT-AC), Pedro Taques (PDT-MT), Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) e Eduardo Braga (PMDB-AM).

PT conquista presidência da CCJ


Cristiane Gomes
Com apenas um representante na Assembleia Legislativa, o PT conseguiu emplacar o deputado estadual de segundo mandato, Ademir Brunetto, à presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, considerada uma das mais importantes por ter a responsabilidade de avaliar a constitucionalidade de todas as matérias. O anúncio foi feito nesta quarta (16) pelo presidente da Mesa Diretora da AL, José Riva (PP).

O republicano Sebastião Rezende vai ocupar a vice-presidência da CCJ. As discussões na Comissão de Orçamento e Fiscalização da Execução Orçamentária serão conduzidas por Hermínio Jota Barreto (PT), enquanto o democrata Zé Domingos Fraga ficou como vice-presidente. Segundo Riva, o deputado Luizinho Magalhães (PP) abriu mão da Comissão da Agecopa para que Wagner Ramos (PR) assuma a presidência. A Mesa Diretora também avalia a criação da Comissão de Infraestrutura Urbana e de Transportes.

Representante de um dos dois grupos independentes da Casa, que se uniram para ter direito à representatividade nas comissões, o democrata Dilmar Dal Bosco vai presidir Revisão Territorial dos Municípios e das Cidades, tendo Percival Muniz, presidente da executiva do PPS, na vice-presidência.

Confira os presidentes e vices das comissões:

Constituição, Justiça e RedaçãoPresidente:
Ademir Brunetto (PT)

Vice-presidente: Sebastião Rezende (PR)

Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária
Presidente: Jota Barreto (PR)

Vice-presidente: José Domingos Fraga (DEM)

Educação, Ciência e Tecnologia, Cultura e Desporto
Presidente: Ezequiel Fonseca (PP)
.
Vice-presidente: Zeca Viana (PDT)

Saúde, Previdência e Assistência Social
Presidente: Walace Guimarães (PMDB)
.
Vice-presidente: Guilherme Maluf (PSDB)

Agropecuária, Desenvolvimento Florestal e Agrário e de Regularização Fundiária
Presidente: Mauro Savi (PR)
.
Vice-presidente: Zeca Viana (PDT)

Revisão Territorial dos Municípios e das Cidades
Presidente: Dilmar Dal Bosco (DEM)
.
Vice-presidente: Percival Muniz (PPS)

Indústria, Comércio e Turismo
Presidente: Ondanir Bortolini (PR)
.
Vice-presidente: Airton Português (PP)

Direitos Humanos, Cidadania e Amparo à Criança, ao Adolescente e ao Idoso
Presidente: Emanuel Pinheiro (PR)
.
Vice-presidente: Luciane Bezerra (PSB)

Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Recursos Minerais
Presidente: Sérgio Ricardo (PR)
.
Vice-presidente: Dilmar Dal Bosco (DEM)

Defesa do Consumidor e do Contribuinte
Presidente: Luizinho Magalhães (PP)
.
Vice-presidente: Emanuel Pinheiro (PR)

Segurança Pública e Comunitária
Presidente: Walter Rabelo (PP)
.
Vice-presidente: Wagner Ramos (PR)

Trabalho e Administração
Presidente: Nilson Santos (PMDB)
.
Vice-presidente: Luiz Marinho (PTB)

Agecopa
Presidente: Wagner Ramos (PR)
.
Vice-presidente: Jota Barreto (PR)

Ética Parlamentar
Presidente: Luizinho Magalhães (PP)
.
Vice-presidente: Dilmar Dal Bosco (DEM)

TÁ RECLAMANDO DE QUÊ???


Reclamando do Lula? do Serra? da Dilma? do Arruda? do Sarney? do Collor? Do Renan? do Alkimin? do Agripino? Da Rosa? Da Borboleta? Dos escandalos tucanos de SP? do Garibaidi? do Kassab? dos picaretas do Congresso? E você? Brasileiro Reclama De Quê?

O Brasileiro é assim:

01 - Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.

02 - Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.

03 - Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.

04 - Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, dentadura.

05 - Fala no celular enquanto dirige.

06 -Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.

07 - Para em filas duplas, triplas em frente às escolas.

08 - Viola a lei do silêncio.

09 - Dirige após consumir bebida alcoólica.

10 - Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.

11 - Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.

12 - Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.

13 - Faz "gato" de luz, de água e de tv a cabo.

14 - Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.

15 - Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.

16 - Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.

17 - Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10 pede nota fiscal de 20.

18 - Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.

19 - Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.

20 - Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.

21 - Compra produtos pirata com a plena consciência de que são pirata.

22 - Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.

23 - Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.

24 - Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.

25 - Frequenta os caça niqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.

26 - Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos como clipes, envelopes, canetas, lápis.... como se isso não fosse roubo.

27 - Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.

28 - Falsifica tudo, tudo mesmo... só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.

29 - Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.

30 - Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.

E quer que os políticos sejam honestos...

Escandaliza-se com a farra das passagens aéreas...

Do dinheiro nas meias do Arruda...

Na cueca de fulano tal...

Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo ou não?

Brasileiro reclama de quê, afinal?

A verdade é que a maioria dos politicos não são corruptos porem muitos dos brasileiros se estivessem no lugar dos políticos corruptos, fariam a mesma coisa.

E é a mais pura verdade, isso que é o pior! Então sugiro adotarmos uma mudança de comportamento, começando por nós mesmos, onde for necessário!


Vamos dar o bom exemplo! Espalhe essa ideia!

"Fala-se tanto da necessidade deixar um planeta melhor para os nossos filhos e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores (educados, honestos, dignos, éticos, responsáveis) para o nosso planeta, através dos nossos exemplos..."

A carapuça serviu?

Tarso diz que com o PT “trabalhadores e empresários conseguiram a mesma altura de cadeira na mesa”


No aniversário de 31 anos do PT, o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, afirmou que o Partido é aquele que mais afirmou, em seu comportamento, a construção de uma democracia moderna. Como exemplo, Tarso diz que “pela primeira vez trabalhadores e empresários conseguiram a mesma altura de cadeira na mesa”.
O governador gaúcho, que já presidiu o Partido, analisa o papel do PT como o responsável pela transição de uma democracia meramente formal para uma democracia de conteúdo.

Tarso diz que com o PT “trabalhadores e empresários conseguiram a mesma altura de cadeira na mesa” by PTBrasil

Senador petista quer ampliação da lei de remuneração por serviços ambientais


O novo senador petista do Acre, o jornalista Aníbal Diniz, participou da festa de 31 anos do Partido afirmando que “devemos comemorar e agradecer a existência do PT”, pelo que ele representa de avanços para o país. Eleito em 2006 como suplente de Tião Viana, Diniz assumiu agora no Senado, com a posse de Tião no governo do Estado.

Aníbal Diniz coloca como prioridade de seu trabalho a ampliação para todo o Brasil da lei de remuneração por serviços ambientais, que já existe no Acre. Graças à política de preservação de suas florestas, o Estado conseguiu entrar no mercado de carbono, vendendo créditos para o Estado norte-americano da Califórnia, numa parceria que incluiu o Estado mexicano de Chiapas.

Para o novo senador, além dos ganhos ambientais, uma lei nacional que pague aos povos da floresta pela preservação “será um diferencial para incluir comunidades que não teriam outra forma de sobrevivência”. (Chico Daniel – Portal do PT)

Clique no tocador abaixo e ouça a entrevista com o senador.

Senador petista quer ampliação da lei de remuneração por serviços ambientais by PTBrasil

BBB-11: A ética pelo ralo


Artigo de Washington Araújo, publicado no sítio Carta Maior:

No dia 11/1/2011 a TV Globo levou ao ar seu programa de maior audiência no verão brasileiro: Big Brother Brasil 11. Sucesso de público, sucesso de marketing, sucesso financeiro, sempre na casa dos milhões de reais. Fracasso ético, fracasso de cidadania, fracasso de respeito aos direitos humanos fundamentais.

O prêmio será de R$ 1,5 milhão para o vencedor. O segundo e terceiro lugares levam, respectivamente, R$ 150 mil e R$ 50 mil. As inscrições para a próxima edição do BBB já estão encerradas. Ao todo, nas dez edições, foram 140 participantes. E já foram entregues mais de R$ 8,5 milhões em prêmios. Balanço raquítico, tanto numérico quanto financeiro para seus participantes, para um programa que se especializou em degradar a condição humana.

Aos 11 anos de existência, roubando sempre 25% do ano (janeiro a março) e agora entrando na puberdade como se humano fosse, o BBB começa anunciando que passará por mudanças na edição 2011. Se você pensou que as mudanças seriam para melhorar o que não tem como ser melhorado se enganou redondamente. O formato será sempre o mesmo, consagrado pelo público e pelos anunciantes: invasão de privacidade com a venda de corpos quase sempre sarados, bronzeados e bem torneados e com a exposição de mentes vazias a abrigar ideias que trafegam entre a futilidade e a galeria de preconceitos contra negros, pobres, analfabetos funcionais.

Após dez anos seguidos, sabemos que a receita do reality show inclui em sua base de sustentação as antivirtudes da mentira, da deslealdade, dos conluios e… da cafajestagem. Aos poucos, todos irão se despir de sua condição humana tão logo um deles diga que “isto aqui é um jogo”. Outros ensaiarão frases pretensamente fincadas na moral: “Mas nem tudo vou fazer para ganhar esse jogo.”

Como miquinhos amestrados, os participantes estarão ali para serem desrespeitados, não poucas vezes humilhados e muitas vezes objeto de escárnio e lições filosóficas extraídas de diferentes placas de caminhões e compartilhadas quase diariamente pelo jornalista Pedro Bial, ao que parece, senhor absoluto do reality show. Não faltarão “provas” grotescas, como colocar uma participante para botar ovo a cada trinta minutos; outra para latir ou miar a cada hora cheia; algum outro para passar 24 horas de sua vida fantasiado de bailarina ou para pular e coaxar como sapo sempre que for ativado determinado sinal acústico. O domador, que terá como chicote sua lábia de ocasião ou nalgumas vezes sua língua afiada, continuará sendo Pedro Bial que, a meu ver, representa um claro sinal de como as engrenagens que movem a televisão guardam estreita semelhança com aqueles velhos moedores de carne.
O último a sair da jaula

É inegável que Bial é talentoso. É inegável que passou parte de sua vida tendo páginas de livros ao alcance das mãos e dos olhos. É inegável também que parece inconsciente dos prejuízos éticos e morais que haverá de carregar vida afora. Isto porque a cada nova edição do reality mais se plasmam os nomes BBB e Pedro Bial. E será difícil ao ouvir um não lembrar imediatamente o outro. Porque lançamos aqui nosso nome, que poderá ter vida fugaz de cigarra ou ecoará pela eternidade. Imagino, daqui a uns 25 anos, em 2035, quando um descendente deste Pedro for reconhecido como bisneto daquele homem engraçado que fazia o Big Brother no Brasil. E os milhares de vídeos armazenados virtualmente no YouTube darão conta de ilustrar as gerações do porvir.

E, no entanto, essas quase duas dezenas de jovens estarão ali para ganhar fama instantânea, como se estivessem acondicionados naqueles pacotinhos de sopa da marca Miojo. Imagino cada um deles a envergar letreiro imaginário a nos dizer com a tristeza possível que “Coloco à venda meu corpo sem alma, meu coração quebrado e minha inteligência esgotada; vendo tudo isso muito barato porque vejo que há muita oferta no mercado”. E teremos aquele interminável desfile de senso comum. Afinal, serão 90 dias de vida desperdiçada, ou melhor, de vida em que a principal atividade humana será jogar conversa fora. O que dá no mesmo. E não será o senso comum exatamente aquele conjunto de preconceitos adquiridos antes de completarmos 15 anos de vida?

Friederich Nietzsche (1844-1900) parecia ter o dom da premonição. É que o filósofo alemão se antecipava muito quando se tratava de projetar ideias sobre a condição humana. É dele esta percepção: “O macaco é um animal demasiado simpático para que o homem descenda dele”. Isto porque Nietzsche foi poupado de atrações quase sérias e semi-circenses, como o BBB. No picadeiro, o macaco é aplaudido por sua imitação do humano: se equilibra e passeia de triciclo e de bicicleta, se veste de gente, com casaca e gravata, sabe usar vaso sanitário, descasca alimentos. No picadeiro do BBB, os seres humanos são aplaudidos por se mostrarem intolerantes uns com os outros, se vestem de papagaios, ladram, miam, coaxam, zumbem – e tudo como se animais fossem. Chegam a botar ovo em momento predeterminado. Se vestem de esponja e se encharcam de detergente a limpar pratos descomunais noite afora.

Em sua imitação de animal, o humano que se sobressai no BBB é aquele que consegue ficar engaiolado – digo, literalmente engaiolado – junto com outros bípedes não emplumados – por grande quantidade de horas. E sem poder satisfazer as necessidades humanas básicas, muitas vezes tendo que ficar em uma mesma posição, como seriemas destreinadas. E são os únicos animais que demonstram imensa felicidade em permanecer por mais tempo na gaiola. Não lhes jogam bananas nem pipocas, mas quem for o último a sair da jaula semi-humana ganha uma prenda. Pode ser um passeio de helicóptero, pode ser um carro, pode ser uma noite na Marquês de Sapucaí.
Heidegger reconheceria

O leitor atento deve ter percebido que em algum momento deste texto mencionei que o BBB 11 terá mudanças. Nem vou me dar ao trabalho de editar. Eis o que copiei do site G1:

“Boninho, diretor do BBB, falou em seu Twitter nesta quarta-feira, 24/11, sobre a nova edição do programa, a 11ª, que estreará em janeiro de 2011. E ele adianta que, desta vez, as coisas vão mudar. ‘Esse ano tudo vai ser diferente… Nada é proibido no BBB, pode fazer o que quiser’, postou Boninho em seu microblog. Questionado sobre o que estaria liberado no confinamento que não estava em edições anteriores, ele respondeu: ‘Esse ano… liberado! Vai valer tudo, até porrada’. Boninho também comentou sobre as bebidas no reality show: ‘Acabou o ice no BBB… Vai ser power… chega de bebida de criança’, escreveu.”

Não terá chegado a hora de o portentoso império Globo de comunicação negociar com o governo italiano a cessão do Coliseu romano para parte das locações, ao menos aquelas em que murros e safanões, sob efeito de álcool ou não, certamente ocorrerão? E como nada compreendo de Heidegger, só me resta dizer que ao longo de toda sua vida madura Heidegger esteve obcecado pela possibilidade de haver um sentido básico do verbo “ser” que estaria por trás de sua variedade de usos. E são recorrentes suas concepções quanto ao que existe, o estudo do que é, do que existe: a questão do Ser (i.e. uma Ontologia) dependente dos filósofos antes de Sócrates, da filosofia de Platão e de Aristóteles e dos Gnósticos.

Quem sabe tivesse assistido uma única noite do BBB – caso o formato da Endemol estivesse em cena antes de 1976 –, o filósofo, por muitos cultuado, não apenas teria uma confirmação segura de que não valia mesmo a pena publicar o segundo volume de sua obra principal, O Ser e o Tempo, como também haveria de reconhecer a inexistência de algo anterior ao ser. Mas, com certeza, se fartaria com a miríade de usos dados ao verbo “ser”.

TCU derruba investida tucana para barrar PNBL


Por Wilian Miron, da Agência Dinheiro Vivo com agências

O Tribunal de Contas da união (TCU) julgou improcedente a investida do PSDB para barrar o projeto de universalização da banda larga, uma das prioridades do Governo Federal para este ano.

Ano passado, durante a disputa presidencial, o deputado tucano Arnaldo Faria de Sá entrou com representação contra possíveis irregularidades na contratação de produtos e serviços, feita pela Telebrás, para atender ao Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

Entre as alegações do autor estaria um possível desrespeito ao Regulamento Conjunto para Compartilhamento de Infraestrutura entre os Setores de Energia Elétrica, Telecomunicações e Petróleo. Aprovado pela Resolução Conjunta nº 01/1999, da Anatel, Aneel e ANP, este regulamento exige publicidade prévia das empresas detentoras da infraestrutura, aos demais interessados para disponibilizá-la a um determinado agente.

Com base nisto, o Sá pediu a suspensão dos pregões realizados pela Telebrás e a suspensão da cessão, por parte da Eletrobras e da Petrobras, da infraestrutura de cabos e fibras ópticas à Telebrás.

Acordo
Enquanto a oposição tenta barrar o projeto de universalização da internet, o presidente da Telebrás, Rogério Santana, negocia com o Governador do Rio Grande do Sul, Tarson Genro, o compartilhamento das redes de fibras óticas da Companhia de Energia Elétrica do Rio Grande do Sul (CEE). “A intenção é buscar sinergias que podem interligar a rede de cabos com a infraestrutura de países vizinhos”, comentou uma fonte próxima à discussão.

http://www.conversaafiada.com.br/

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

CONVERSA COM A PRESIDENTA "Coluna semanal da Presidenta Dilma Rousseff"



Romero de A. Cavalcanti, 30 anos, produtor cultural de Arcoverde (PE) – A senhora visitou, junto com o ex-presidente Lula, grande defensor do povo nordestino, as obras da transposição do São Francisco. A senhora pretende aumentar os investimentos no Nordeste em sua gestão?

Presidenta Dilma – Planejamos aumentar o volume de investimentos em todo o país, principalmente em obras de infraestrutura energética, logística e social-urbana. As obras iniciadas no governo Lula estão distribuídas por todo o território nacional, com prioridade para os estados que nunca receberam a atenção devida, o que inclui os da sua região. Começamos a trabalhar por um país mais equilibrado e justo socialmente. Eu participei da formulação e tenho, portanto, compromisso com essas diretrizes. Os empreendimentos iniciados no governo passado terão seguimento, incluindo os megaprojetos no Nordeste, como são os casos da Integração do São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional, também chamada de Transposição do São Francisco, a Transnordestina, as refinarias Premium I (MA) e Abreu e Lima (PE). Além disso, terão início as obras da Refinaria Premium II (CE). Para o PAC 2, entre os critérios de seleção de projetos está a questão do impulso ao desenvolvimento regional, o que contempla os estados do Nordeste. Os investimentos serão maiores em todos os setores. Como exemplo, cito o da habitação – o Minha Casa Minha Vida-2 vai financiar a construção de mais 2 milhões de moradias, com subsídios maiores para as menores faixas de renda. Boa parte será destinada aos estados da sua região.

Ivan T. Macedo, 20 anos, estudante de Arapongas (PR) – Já vi muitas reportagens mostrando o absurdo dos milhões de sacolas plásticas, que não são absorvidas e ficam poluindo durante anos e anos. O governo já pensou em tomar uma providência a respeito?

Presidenta Dilma – Ivan, a sua preocupação é também nossa e por isso estamos agindo. O Ministério do Meio Ambiente (MMA) lançou, em 2009, uma grande campanha de conscientização chamada “Saco é um Saco”, utilizando todos os tipos de mídia, como filmes para TV e cinema, internet, rádio, etc. Estamos mostrando o desastre que representa o consumo excessivo e o descarte incorreto de sacolas plásticas. O convencimento é mais adequado e produtivo do que a proibição. Os resultados estão aí: nos últimos 18 meses, evitamos o consumo de 5 bilhões de sacolas plásticas. Considerando que em 2009 foram produzidos 15 bilhões de sacolas, a redução foi significativa. A campanha envolve governos estaduais e municipais, supermercados, lojas e a própria indústria de plástico. Há supermercados, por exemplo, que estão dando descontos para clientes que usam seus próprios recipientes. O MMA distribuiu 200 mil sacolas retornáveis. Os municípios de Xanxerê (SC) e Jundiaí (SP) baniram as sacolas plásticas voluntariamente. O movimento tende a crescer cada vez mais. Pacto firmado pelo MMA com o setor de supermercados, abrangendo cerca de 76 mil estabelecimentos, prevê a redução de 30% das sacolas até 2013 e de 40% até 2014. Quero aproveitar para conclamar a população a aderir a esse movimento, que é fundamental para a nossa qualidade de vida.

Meire Alvez, 28 anos, autônoma de Cuiabá (MT) – Na questão da Educação, a senhora vai privatizar ou melhorar o acesso às universidades públicas?

Presidenta Dilma – Meire, em vez de privatizar, nós vamos fortalecer as instituições federais de ensino superior dos pontos de vista físico, acadêmico e pedagógico. As universidades e institutos de educação, ciência e tecnologia terão mais extensões universitárias (campi), vagas e cursos, objetivando ampliar as oportunidades de acesso à educação superior para os nossos jovens. Daremos continuidade às iniciativas do governo do ex-presidente Lula, que criou 14 novas universidades e 126 novas extensões universitárias. Vamos continuar expandindo o ProUni, que desde a sua criação, em 2004, já concedeu bolsas de estudos para 748 mil jovens – com renda familiar por pessoa de até 3 salários mínimos – cursarem faculdades particulares. Para ampliar o acesso às universidades, fortaleceremos também o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), programa de empréstimos a estudantes de instituições privadas. A taxa de juros é de apenas 3,4% ao ano e não há a exigência de fiador. O débito pode ser liquidado em até 15 anos e o formado tem até 18 meses para iniciar as amortizações.


Mais Informações
Secretaria de Imprensa da Presidência da República
Departamento de Relacionamento com a Mídia Regional
(61) 3411-1370/1601

Ministros falam sobre o “modo petista” de governar

Na trajetória política em 31 anos do Partido dos Trabalhadores uma das marcas é o esforço de se consolidar – um modo petista de governar – tanto nos governos municipais, estaduais e principalmente no governo federal. Três ministros da atual gestão falaram ao Portal do PT sobre o tema.

O ex-secretário geral do PT e ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, diz que o prestígio no exterior é reflexo da política de valorização e desenvolvimento implantado durante o governo Lula. “Agora estamos no terceiro mandato do PT na Presidência da República, com uma mulher, a presidenta Dilma Rousseff, que eu tenho certeza fará um governo tão bom como o do presidente Lula para que nós fiquemos enquanto PT governando para os brasileiros muito mais anos”.

A ministra de Direitos Humanos, deputada Maria do Rosário, diz que o modo petista de governar “tem a ver com a proximidade com os movimentos sociais, com a base social, com aquela que é a fonte maior onde se busca o fundamento da democracia, que é o próprio povo brasileiro”.
Para o ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, o Partido dos Trabalhadores nessa trajetória construiu valores com apoio popular, dos movimentos sociais e de setores organizados. “Definimos prioridades para poder alterar o antigo cenário pensando na inclusão social, na distribuição de renda e na participação cidadã”. (Julita Kissa – Portal do PT)